Richa promete reforma do ensino médio sem prejuízos para os alunos

Mariana Ohde


Em pronunciamento divulgado nas redes sociais, o governador Beto Richa prometeu não fazer mudanças que possam prejudicar os estudantes paranaenses e reafirmou que a reforma do ensino médio será debatida com a comunidade escolar. Richa também defendeu, no pronunciamento, a necessidade de modernização do ensino, mas se comprometeu a manter as disciplinas ofertadas hoje.

“Quero deixar claro, a toda população do Paraná, que, aqui no nosso estado, não será feita nenhuma mudança no ensino médio que prejudique nossos estudantes”, disse.

Beto Richa garantiu que o tema será debatido “amplamente” com a comunidade escolar, especialmente com os alunos. “Todos serão ouvidos”, garantiu, lembrando a série de seminários que serão realizados pela Secretaria de Educação no dia 13 de outubro, em todo Paraná.

O governador também afirmou que todas as disciplinas serão mantidas no estado. “Prestem atenção: todas as disciplinas oferecidas hoje serão mantidas”, enfatiza no vídeo. Beto Richa admitiu a necessidade de modernizar o ensino médio para atender as demandas dos estudantes. “Por isso, vamos juntos, construir a nossa reforma”, finaliza.

A reestruturação do ensino médio, proposta na Medida Provisória 746/2016, prevê que, durante um ano e meio, o aluno curse uma grade curricular padrão. No período restante, ele pode decidir em quais áreas do conhecimento quer se aprofundar. O estudante poderá escolher entre cinco ênfases: linguagens, matemática, ciências sociais e humanas, ciências da natureza, ou ainda optar pela formação técnica profissional. A reforma também prevê o aumento da oferta de ensino médio em período integral.

A Secretaria da Educação também já havia se pronunciado sobre as mobilizações, afirmando que os estudantes não aceitaram negociar até o momento e relembrando a realização dos debates no com a comunidade nas regionais da secretaria.

Porém, os estudantes criticam a iniciativa. “Eles estão propondo uma webconferência. Nós estamos falando da reforma do ensino médio. Como você vai discutir por webconferência? 40% dos estudantes da periferia não têm acesso à internet. Como vão participar sem acesso à internet? Isso tem que ser discutido no berço da escola, no berço da comunidade escolar, em seminários municipais, regionais, estaduais e amplamente com o povo”, critica o presidente da UPES, Matheus dos Santos.

Cresce o número de estudantes mobilizados contra as medidas

Apesar dos esforços do governo para conter os ânimos, a mobilização dos alunos contra a Medida Provisória do governo federal só tem crescido no estado nos últimos dias. Na manhã desta quinta-feira (6), mais de vinte escolas já estavam ocupadas.

De acordo com o levantamento da União Paranaense dos Estudantes Secundaristas (UPES), dezenove escolas ocupadas ficam na região metropolitana de Curitiba (Pinhais, São José dos Pinhais e Fazenda Rio Grande). As demais ficam nos municípios de Maringá, Ponta Grossa e Mandaguaçu.

O movimento, segundo a UPES, será mantido como parte das mobilizações nacionais para pressionar o governo Temer a retirar a Medida Provisória e também para cobrar da gestão estadual que não acate as propostas.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal