STF suspende ação penal da terceira fase da Operação Publicano

Jordana Martinez


BandNewsCuritiba

 

O andamento da ação penal da terceira fase da Operação Publicano – que investiga um esquema de corrupção na Receita Estadual do Paraná – foi suspenso pelo Supremo Tribunal Federal. A decisão do Ministro Gilmar Mendes foi baseada nos argumentos da defesa de um dos 18 réus do processo, o auditor José Luiz Favoreto, que alegou que um mandado de busca e apreensão teria sido cumprido sem a determinação da Justiça e, portanto, teria gerado provas ilícitas. Com a medida, o processo fica paralisado até o julgamento do mérito pela Segunda Turma do STF.

Não há prazo para que isto ocorra. A terceira fase da Publicano estava na etapa de audiências. A investigação apura um esquema de corrupção ligado ao auditor José Luiz Favoreto, que já chegou a ocupar o cargo de Delegado da Receita Estadual em Londrina, no norte do Estado.

De acordo com o Ministério Público do Paraná, Favoreto teria recebido R$ 7 milhões em propina e teria encoberto o montante com a compra de imóveis, carros de luxo e empresas. Ele já foi condenado na primeira sentença da Publicano por organização criminosa, falsidade ideológica, corrupção passiva tributária, corrupção ativa e violação do sigilo funcional.

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.
[post_explorer post_id="434974" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]