Terremoto de magnitude 7,2 atinge fronteira do Peru com a Bolívia

Abalo foi considerado de profundidade intermediária, com menos danos ao solo, mas que pôde ser sentido em regiões mais distantes ao epicentro.

Redação - 26 de maio de 2022, 11:22

(Foto: Reprodução/USGS)
(Foto: Reprodução/USGS)

Um terremoto de magnitude 7,2 atingiu a região de fronteira do Peru com a Bolívia nesta quinta-feira (26). O índice foi divulgado pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

De acordo com o serviço, o abalo sísmico ocorreu a uma profundidade de 217,8 km. O epicentro teria sido localizado na província peruana de Puno, nas cidades de Tirapata e Ayaviri.

O terremoto foi considerado pelo USGS de "profundidade intermediária", pois está numa profundidade focal entre 70 e 300 quilômetros. Nesses fenômenos, são causados menos danos ao solo, porém pode ser percebido em regiões mais distantes.

O abalo foi sentido por todo o país, além da Bolívia. Segundo o Instituto Geofísico do Equador, um tremor de magnitude 8,2 foi registrado na cidade de Puerto Acosta, do outro lado da fronteira.

A região onde o terremoto ocorreu é próxima ao lago Titicaca, considerado o de maior altitude do mundo para navegação, a 3.812 metros acima do nível do mar.

Não há informações sobre feridos, mortos ou danos que tenham sido causados ao Peru e à Bolívia.

TERREMOTO É SENTIDO NO BRASIL

O terremoto registrado no Peru e na Bolívia pôde ser sentido no Brasil. Cidades da região Norte e Sul sentiram o abalo, como Porto Velho, capital de Rondônia; e Cruzeiro do Sul, cidade no estado do Acre.

O tremor teria sido percebido por moradores por volta das 7 horas da manhã, horário local. Em Porto Velho, o prédio do Tribunal de Justiça de Rondônia, chegou a ser evacuado após a estrutura se mexer no 5º e 6º andares do edifício.

Após aval do Corpo de Bombeiros, os servidores voltaram às atividades.

Já no Paraná, na cidade de Cascavel, oeste do estado, um edifício comercial foi evacuado por volta das 9 horas da manhã, horário de Brasília. De acordo com o portal CGN, pessoas que estavam na edificação teriam sentido tremores na estrutura.