Tragédia em Saudades: despedida de vítimas de ataque em Santa Catarina gera comoção

Redação


O velório das cinco vítimas do atentado em uma creche no município de Saudades, na região oeste de Santa Catarina, começou por volta das 23h de terça-feira (4). A tragédia não comoveu somente os cerca de nove mil habitantes da cidade, mas paralisou o país.

Um jovem, de 18 anos, entrou na escola infantil Pró-Infância Aquarela com uma adaga e surpreendeu crianças e profissionais da educação na manhã de ontem. O ataque resultou em cinco mortes: duas professoras e três crianças.

No Parque de Exposições Theobaldo Hermes o clima era pesado na manhã de quarta-feira (5). Às 9h, uma missa de corpo presente foi realizada no local. Às 10h, ocorreu o sepultamento das vítimas da tragédia de Saudades.

Tragédia em Saudades: despedida de vítimas de ataque em Santa Catarina gera comoção (Reprodução Twitter/@MontemezzoReal)

VÍTIMAS DE TRAGÉDIA EM SAUDADES (SC)

As vítimas do ataque são:

  • Kelli Adriane Aniecevski, 30 anos, que era professora e estava na entrada da unidade quando o jovem se aproximou;
  • Mirla Renner, 20 anos, era agente educacional e cuidava de alguns alunos em uma sala;
  • Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses;
  • Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses;
  • Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses;

Uma quarta criança, de 1 ano e 8 meses, foi socorrida com vida e está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

“Não tenho palavras para explicar [o que estou sentindo]. Só existe um buraco em nossos peitos que nunca vai sarar”, disse Leonardo Felipe Fernandes de Barros, pai de Anna Bela. “Ela é um verdadeiro anjinho. Uma de suas primeiras palavrinhas foi justamente ‘carinho’, porque ela adorava fazer em todos. Sempre estava correndo e sorrindo. Sempre fazia amizades onde estava”, lamentou.

O QUE SE SABE ATÉ AGORA SOBRE O ATAQUE EM SANTA CATARINA

Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, invadiu a escola Aquarela, em Saudades, 600 quilômetro de Florianópolis, com uma adaga por volta das 10h de terça-feira (4). No local, 20 crianças estavam sob os cuidados de cinco professoras.

A primeira pessoa que o assassino encontrou e desferiu golpes foi a professora Keli Adriane Aniecevski. Mesmo ferida, ela correu para uma sala, onde estavam quatro crianças e a agente educativa Mirla Renner para avisar sobre o ataque.

Apesar do esforço da professora, o jovem chegou até a sala e continuou os ataques, desferindo golpes contra Mirla e três crianças. Em seguida, o jovem tentou entrar em todas as salas da creche, mas professoras conseguiram trancar as e se esconder.

Na casa do assassino, a polícia encontrou R$ 11 mil e duas embalagens de facas novas. Depois do ataque na creche de Saudades, em Santa Catarina, o assassino tentou tirar a própria vida. Ele foi socorrido e encaminhado para um hospital da região.

“Ele está com 18 anos e estava dormindo com o pai, porque segundo o pai dele, ele tinha medo de dormir sozinho. Ele vinha sofrendo bullying na escola e era uma pessoa muito introspectiva, não tinha muitos amigos, se afastou de alguns amigos nos últimos tempos. Gostava desses jogos on-line e segundo a irmã dele, ele gostava de machucar os bichinhos”, declarou o delegado Jeronimo Marçal Ferreira, que lidera as investigações.

*matéria escrita pelo Paraná Portal em parceria com o Portal Peperi.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="762275" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]