UFPR mantém passaporte da vacina, independentemente da ALEP

A proposta deve ser aprovada em terceira e última votação, nesta quinta-feira (07). Mesmo com a sanção, a UFPR pretende cobrar a vacina.

Larissa Biscaia - BandNews FM Curitiba - 06 de abril de 2022, 15:10

(Foto: Marcos Solivan/UFPR)
(Foto: Marcos Solivan/UFPR)

A Universidade Federal do Paraná pretende manter a exigência do passaporte da vacina, independentemente da legislação estadual. Nesta terça-feira (05), a Assembleia Legislativa aprovou, em segundo turno, o projeto que proíbe a exigência do comprovante por entidades do poder público ou da iniciativa privada. A proposta deve ser aprovada em terceira e última votação, nesta quinta-feira (07). Mesmo com a sanção, a UFPR pretende cobrar a vacina.

A informação foi divulgada pelo reitor da instituição, Ricardo Marcelo Fonseca, em entrevista à BandNews FM Curitiba.

"Não muda absolutamente nada. A UFPR estava exigindo e continuará a exigir [o uso de máscaras faciais de proteção]. O entendimento que nós temos é que essa lei, que é uma lei estadual, não tem o condão de afetar a exigência federal e universitária", afirma o reitor.

Desde a retomada do ensino presencial, a universidade exige a apresentação da carteira de vacinação ou de um teste negativo da Covid-19 para o acesso ao campus.

Em 2021, a instituição deu início ao desenvolvimento de uma vacina própria contra o coronavírus. Neste momento, os pesquisadores concluem os testes pré-clínicos. A próxima etapa é pedir a autorização da Anvisa para testar em humanos.

Segundo o reitor, se o investimento fosse maior e constante por parte do poder público, o imunizante já estaria disponível.

"O investimento em ciência e tecnologia é crucial para nós. Na pandemia, isso faria a diferença entre saúde e doença e entre vida e morte", finaliza Ricardo Marcelo Fonseca.