Vacina contra a covid-19: estudos da fase 3 da CoronaVac são ampliados

Redação

coronavac, sinovac, sinovac biotech, vacina, china, covid-19, coronavírus, hc, hospital de clínicas, curitiba, teste, pesquisa, voluntários

O governo de São Paulo anunciou a ampliação dos estudos da fase 3 da vacina contra a covid-19, chamada CoronaVac. Agora serão 13 mil voluntários, ao contrário dos nove mil divulgados inicialmente, com quatro novos centros de pesquisa nas cidades de Barretos (interior de SP), Pelotas (Rio Grande do Sul), Cuiabá (Mato Grosso) e Campo Grande (Mato Grosso do Sul).

A vacina está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan e Curitiba já está testando a vacina em voluntários, por meio do Hospital de Clínicas, desde o início de agosto.

A expectativa é os resultados dos testes em humanos possa começar a apresentar resultados já na segunda quinzena de outubro. Se eles comprovarem a eficácia da vacina, a expectativa do governo de São Paulo é obter a autorização da Anvisa rapidamente e iniciar a vacinação de moradores do estado ainda neste ano.

A fabricante da CoronaVac iniciou sua fase 3 de testes no Brasil em julho. Os testes vinham sendo realizados em nove mil voluntários, todos da área da saúde, de 12 centros de pesquisas localiazados em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná

VACINA CORONAVAC

A vacina é inativada, ou seja, contém apenas fragmentos do vírus inativos. Com a aplicação da dose, o sistema imunológico passaria a produzir anticorpos contra o agente causador da covid-19. No teste, metade das pessoas receberão a vacina e metade receberá placebo, substância inócua. Os voluntários não saberão o que vão receber. A vacina está sendo aplicada em duas doses.

Estudos de fases 1 e 2 da vacina, feitos na China, revelaram esta semana que ela é segura. Os testes de fase 3 vão comprovar se a vacina é eficaz, ou seja, se ela protege contra o novo coronavírus.

Com informações da Agência Brasil.

OUTRAS VACINAS CONTRA A COVID-19 

Entre outros estudos para a vacina contra o novo coronavírus estão o da UFPR (Universidade Federal do Paraná), que teve sucesso nos testes com camundongos, e a Sputinik, criada na Rússia.

Previous ArticleNext Article