Velório de Dom Evaristo Arns atravessa a madrugada em São Paulo

Com Agência Brasil e Rádio CBN CuritibaO velório de dom Paulo Evaristo Arns, começou ontem desde às 20h de ontem (14) na..

Julie Gelenski - 15 de dezembro de 2016, 10:25

Com Agência Brasil e Rádio CBN Curitiba

O velório de dom Paulo Evaristo Arns, começou ontem desde às 20h de ontem (14) na Catedral Metropolitana de São Paulo, na Sé, região central da cidade.

Durante toda a madrugada, o público rezou o terço e pode se despedir do cardeal emérito. Na manhã de hoje (15), os fiéis também lotaram a catedral.

Serão feitas 23 missas de corpo presente. A cerimônia seguirá de forma ininterrupta até as 15h de amanhã (16). Ao final, o corpo de Dom Paulo será sepultado na cripta da catedral.

Ontem, o governador Geraldo Alckimin esteve presente ao velório e lamentou a morte do cardeal. Em procissão solene, o corpo de Dom Arns foi recebido sob aplausos na catedral, onde uma missa celebrada pelo arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Scherer, teve início às 20h20.

Dom Paulo tinha 95 anos de idade, 71 de sacerdócio e 76 de vida franciscana. Ele era cardeal desde 1973 e foi arcebispo metropolitano de São Paulo entre 1970 e 1998.

Relembre a trajetória de Dom Paulo Evaristo Arns, um dos idealizadores da Pastoral da Criança

Dom Paulo Evaristo Arns, cardeal e arcebispo emérito da Arquidiocese de São Paulo, morreu no final da manhã desta quarta-feira(14).

O religioso foi também o idealizador da Pastoral da Criança, instituição que ajudou a construir ao lado da irmã, Zilda Arns, morta em 2010, vítima de um terremoto no Haiti.

O sobrinho de Dom Paulo, Nelson Arns Neumann, que atualmente ocupa a coordenação nacional da Pastoral no Brasil e está também à frente da Pastoral da Criança Internacional, falou sobre as últimas conversas com o tio, já na UTI: "Eu brinquei com ele, falei: a semente que o senhor plantou está dando frutos. Ele (Dom Paulo) respondeu: sempre! Eu fiquei emocionado, porque parecia que ele não estava acompanhando a conversa, mas quando teve essa pergunta, respondeu".

Nelson Arns Neumann diz que Dom Paulo fazia questão de saber sobre o andamento das atividades da Pastoral, que ajudou a criar, nos anos 1980, a partir de uma sugestão do diretor executivo do Unicef. A ideia do então diretor da Unicef era aproveitar a estrutura da igreja católica para chegar nas comunidades carentes do mundo. Foi então que Dom Arns entrou em contato com Zilda Arns para ingajar a igreja católica no projeto de ajudar as crianças.

O sobrinho de Dom Paulo e coordenador da Pastoral afirma que do tio fica a lição para manter a coragem. Segundo ele, é nessa inspiração que o grupo vai seguir no trabalho semeado pelo tio.

Dom Paulo tinha 95 anos de idade e estava internado desde o dia 28 de novembro, em decorrência de problemas respiratórios.