IN LOCO: novas tendências do Direito
Compartilhar

Thor: Amor e Trovão! Um filme que vale a pena assistir!

Pré-estreia: “Thor: Amor e Trovão”, onde emoções de alegria, aventura, humor, e amor... fazem parte das cenas eletrizantes. Vale a pena aproveitar!

Janaina Chiaradia - 06 de julho de 2022, 13:40

Arquivo pessoal da escritora.
Arquivo pessoal da escritora.

Thor: Amor e Trovão!

Um momento incrível... assistir a pré-estreia do filme “Thor: Amor e Trovão”, onde as expectativas sobre o filme, refletiram emoções de alegria, aventura, humor, e amor... o herói identificado como “Deus do Trovão” enfrenta questionamentos em busca de sua paz interior.

Entre as armações do “criminoso galáctico“ conhecido como Gorr, o “Carniceiro dos Deuses”, que busca a extinção dos deuses; há interação com outros defensores do universo, em especial, ex-namorada Jane Foster, e se intitula a Poderosa Thor.

Muitas reflexões vieram à tona durante as imagens que passagem a minha frente: qual o sentido que cada qual busca? O que há de relevante nas atividades de cada um para sociedade? O sentimento de amor pode ser reprimido pelo tempo, pelo medo ou pela falta de comunicação? Como podemos mudar nossos destinos?

Enfim, junto comigo estavam duas pessoas incrivelmente geek’s, que igualmente enviaram seus comentários a respeito:

Primeiramente, o CEO da “Geek Trip”, amigo Giuliano Sens:

“Salve Geeks! Fomos assistir a Thor Amor e Trovão e vamos trazer aqui as nossas primeiras impressões. Como sempre, não é uma crítica e sim o nosso sentimento como telespectadores e sem spoilers.

Não tem como esconder que somos apaixonados pelo que a Marvel vem fazendo, trazendo tantas coisas incríveis em suas adaptações das HQs para as telonas. E com Thor Amor e Trovão não foi diferente, trazer novamente Natalie Portman como (Jane Foster) para se tornar a Poderosa Thor foi genial.

O filme começa em um ritmo bastante forte em emoção de uma forma até meio que inesperada, mas logo entra no ritmo que todos já imaginavam, um tom muito mais cômico do que encontramos nas tantas aventuras da Marvel. O próprio Thor sempre trouxe um tom meio fanfarrão para os filmes, mas quando os filmes são “dele” eles literalmente são dele, cheios de momentos hilários.

Além das muitas gargalhadas que ele nos proporciona brincando com tantas referências, “Jean-Claude Van Damme deve ter adorado”, o filme nos traz um tom extremamente nostálgico, com uma trilha sonora impecável. Aliás uma das coisas que comentamos é o quanto as influências dos anos 80 estão tomando conta de tudo e o como os streamings e o cinema estão sabendo aproveitar e surfar novamente essa onda.

Não podemos deixar de falar que, Christian Bale como Gorr está incrível, Chris Hemsworth dispensa comentários e você também verá mais algumas participações inusitadas.

Quer saber mesmo o que achamos? Achamos que você tem que assistir! O filme está ótimo, de verdade, siga o nosso conselho corra logo para os cinemas. Esse filme merece uma telona!

E ainda, a cinéfila e produtora de conteúdos culturais, Luiza Johnson:

Chris Hemsworth está pela oitava vez interpretando o Deus do trovão Thor, nas produções cinematográficas Marvel. Isto sem contar a animação “What If“, no qual o ator empresta sua voz. Logo, ele é o primeiro personagem a quebrar o padrão de trilogia e tem o seu quarto filme solo.

Em “Thor: Amor e Trovão”, o personagem, que já vivenciou desde guerras no próprio planeta, guerras na Terra, aventuras com os Vingadores, conflitos no espaço a guerras consigo mesmo; está agora em uma jornada bem diferente. Não é o Doutor Estranho no Templo sagrado, para trazer este assunto em especial, mas e sim, é o próprio Thor em uma jornada de…autoconhecimento.

Como o próprio diretor, Taika Waiti, mencionou, em matérias à imprensa: “Eu não acho exagero esperar mudanças em um personagem como Thor. Ele já existe há muito tempo, então há espaço para que ele passe por diferentes fases.”

Uma reflexão bastante interessante! Pois o mesmo vale para nossas jornadas pessoais. Vivemos muitas vidas e uma só e a cada fase há uma constante redescoberta que de quem somos e do que faz sentido naquele momento.

Vejo os personagens do time Vingadores, como um todo, são espelhos de grupos familiares, de trabalhos, de amigos. Espelhos no sentido metafóricos de pessoas tão diferentes e com histórias de perdas, desafios e da construção de suas próprias narrativas, e que por algum motivo de unem e formam um grupo. Os anos passam e as vidas seguem rumos. Alguns grupos pemanecem unidos fisicamente, outros pelo coração e pelas memórias. Porque o que os conectam são os propósitos de cada um, naquele momento.

Às vezes para jornada de alguém faz sentido estar naquela determinada causa, e às vezes com o passar do anos esta mesma pessoa precisa abraçar outras causas. O que não quer dizer que que foi vivido foi esquecido, mas é sempre guardado de alguma forma e faz parte de quem somos no hoje, no agora. Como por exemplo na história da Wanda Maximoff e de Steve Rogers, ambos seguiram rumos diferentes, a parte do grupo. Natasha manteve-se na base dos Vingadores junto a outros personagens. Outros ficam no Standby para quando sua presença for solicidata como Capitã Marvel. E outros perdem o sentido da vida, sentem um vazio interior após tanta dor e que então, então vivendo uma nova história em busca de si mesmos, de um “novo eu”, de novos propósitos, como o Thor.

Ao longo da saga, vimos o crescimento de Thor, desde o filho mimado ao herói ferido que constuiu armaduras em torno de si para esconder dores de suas perdas. Nesta jornada de autoconhecimento, o personagem está soltando as amarras de sua própria e resignificando os sentimentos de situações e pessoas significativas em sua vida.

Uma jornada como esta é muito mais do que um mergulho em si, significa atravesar catarses, encarar dores, chorar verdades, se decepcionar e também não deixa de ser um exercicio de auto amor. De se permitir senti-lo de croação aberto. Muitas vezes por medo de perder algo muito bom, desviamos nossa atenção e nos afastamos. Uma grande amardilha, pois o sábio é viver aqeuele sentimento da forma intensa que o momento permitir.

“As pessoas que você ama dirão exatamente quem você é.”

Amor trovão é um nome bastante apropriado para este".

Ou seja: vale muito assistir ao filme de Thor, mergulhar na aventura, ouvir a trilha sonora incrível e refletir com o enredo apresentado!

Uma ótima sessão a todos! Peguem a pipoca e aproveitem!

Bjs mil

Janaina Chiaradia