Moda e Comportamento
Compartilhar

A morte do rei vira poesia em documentário rodado em 3 continentes

Com Metro JornalO maringaense radicado em Curitiba, André Donadio, 35, exercia ainda a profissão de advogado quando reso..

Guilherme Grandi - 15 de agosto de 2017, 00:01

Em
uma viagem de 6
meses, o fotógrafo
maringaense André
Donadio realiza um
documentário em
três continentes. [foto: André
Donadio]
Em uma viagem de 6 meses, o fotógrafo maringaense André Donadio realiza um documentário em três continentes. [foto: André Donadio]

Com Metro Jornal

O maringaense radicado em Curitiba, André Donadio, 35, exercia ainda a profissão de advogado quando resolveu fazer uma mudança em sua vida. Após 10 anos advogando, resolveu parar com a profissão e viajar pelo mundo munido de sua câmera fotográfica e como destino três continentes: Europa, Ásia e Oceania.

“Eu aproveitei essa viagem como uma missão fotográfica. Gosto de dizer que sou multidisciplinar, porque não tenho ainda uma característica fotográfica 100%. Transito entre a fotografia de rua, iniciando aos poucos a fotografia documental, e fotografias artísticas dentro do surrealismo”, explicou.

Em outubro passado, ainda em viagem, Donadio passou pela Tailândia e registrou a morte do rei Bhumibol Adulvadej, que rendeu um velório de 30 dias e um luto de um ano. “O velório do rei foi algo que eu nunca havia visto na vida. Uma adoração e uma grandiosidade sem parâmetros”, destacou.

morte do rei 1

De acordo com Donadio, uma das peculiaridades que tangiam o rei da Tailândia – e que o fez querido por boa parcela do povo – é que ele trouxe paz ao país. “A Tailândia, como aquela região da Ásia, viveu grandes guerras nos últimos 100 anos, além de grandes crises democráticas, passou por ditaduras, guerras civis. O rei conseguiu amenizar essa situação – que levou paz ao povo. Ele foi o primeiro rei que visitou todos os povoados da Tailândia. Ele era muito querido”, destacou.

Um fragmento desse documentário de Donadio em ‘A Morte do Rei’, classificou-se na primeira etapa do concurso fotográfico ‘Paraty em Foco’, que acontece entre os dias 13 e 17 de setembro. A classificação final deve sair ainda neste mês.

Outros Projetos

Além dos projetos de fotografia de rua e documental, André Donadio investe em produções de nu artístico em surrealismo – que inclusive classificou um ensaio, também, para o ‘Paraty em Foco’.

Fruto, também, da viagem, Donadio destaca as fotografias que fez no deserto da Austrália, que estão em andamento, para em breve tornarem-se uma exposição. “Fotografar o deserto da Austrália foi um grande prazer. Viajei 10 dias no deserto de carro – quase 1000 km – e a gente não vê nada. Isso acaba sendo um grande desafio. Fazer do ‘nada’ uma grande fotografia.