Lar Batista Esperança ganhará revitalização

Andreza Rossini


Do Metro Curitiba

Com mais da metade dos votos (16.346 de 30.964), o LBE (Lar Batista Esperança) foi o escolhido pelo público para receber uma revitalização em uma de suas casas.

A instituição venceu a 10ª edição do projeto Mueller Ecodesign Social, que também tinha como participantes o Lar Dona Vera e o Instituto Semeando a Paz. “É sempre uma boa hora para quem vive de doação. A dificuldade é muito grande, não temos renda direcionada para isso, então quando precisamos de um conserto são os próprios voluntários que vêm e fazem”, disse o coordenador do Lar, Carlos Eduardo dos Santos.

O LBE existe há 29 anos e até hoje já atendeu 852 crianças e adolescentes a 0 a 17 anos. Atualmente são 50 crianças em situação de risco pessoal e social, ou de vulnerabilidade, residindo em uma das oito casas ativas do Lar – ainda existem outras duas.

Uma delas, a da rua Augusto Hauer, no Pilarzinho, foi a contemplada no projeto. “Esta é a primeira vez que vamos fazer ou receber um ampla reforma em uma de nossas casas. Já tínhamos recebidos doações para construir, mas reformar não”, contou Eduardo.

No LEB, as crianças chegam normalmente através do Conselho Tutelar, recebem moradia com alimentação, vestuário, higiene e lazer, além de assistência psicológica.

Segundo a coordenadora do projeto Mueller Ecodesign Social, a arquiteta Rose Guazzi, a reforma do espaço deve começar no início do próximo mês e terminar em dezembro, antes do Natal. “Até a semana que vem devemos ter os profissionais escolhidos. Cada um vai pegar um cômodo da casa e o revitalizar de acordo com a necessidade da instituição”, explicou Guazzi.

A arquiteta revela que foi surpreendida com o número expressivo de votos, pois pela primeira vez a escolha foi aberta ao público. “Queríamos mobilizar a sociedade com a votação popular para atentar sobre a necessidade dos locais, que dependem de doações”, disse. As doações também serão fundamentais para a execução da reforma. “O pilar do projeto é a sustentabilidade. Então, vamos nas lojas atrás de produtos descartados ou alguma que coisa que sobrou de piso, luminária e também como foco na reciclagem”, disse Guazzi.

Esta é a 4ª vez que o projeto promove reformas. Em sua 1ª edição, em 2014, o projeto atendeu a Casa do Piá 1, já a 2ª edição, em 2015, contemplou a Casa das Meninas do Novo Mundo. E a 3ª edição do projeto, reformou o Portal do Futuro do Bairro Novo.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="450358" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]