Diesel apresenta piora na qualidade e degradação pode causar prejuízo

Redação

diesel no setor agrícola

Segundo o boletim do Programa de Monitoramento da Qualidade dos Combustíveis (PMQC), o nível de não conformidade do diesel fechou o segundo mês de 2021 perto dos 6,3%. O percentual é maior do que o dobro do registrado em janeiro.

De acordo com especialistas, a piora na qualidade do óleo diesel tem relação com a falta de boas práticas. “O consumidor do óleo diesel, em toda sua cadeia, precisa realizar pequenas rotinas que evitam a degradação do combustível”, explica Gilles Laurent Grimberg , CEO da Actioil Latin America, empresa que lançou uma plataforma que irá capacitar profissionais da área de combustíveis, com aulas técnicas sobre gestão, manuseio e tratamento químico do diesel e biodiesel.

Em 2019, a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva lançou uma cartilha que orienta sobre como evitar problemas de degradação e garantir a qualidade do diesel e biodiesel.

Estudos realizados consideram que se perde de 1% a 1,5% do diesel adquirido por conta da degradação. Isso corresponde a R$ 0,030 a R$ 0,045 por litro de óleo diesel. Ou seja, um consumidor de 1 milhão de litros, pode perder em torno de R$ 45 mil por degradação.

O setor agrícola, que utiliza tratores, colheitadeiras e outros equipamentos movidos esse tipo de combustível, e o de geradores – utilizados em hospitais, condomínios e hotéis – são as duas áreas que mais utilizam esse conceito e investem no tratamento do diesel, superando os cuidados do setor de transporte urbano e rodoviário.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="755073" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]