Especialista mostra sistema de monitoramento para utilização eficiente da energia

Redação

Com atraso, segunda maior térmica do pais entra em operação nesta quinta

Com o aumento da tarifa de luz no Brasil, a economia de energia elétrica se faz importante. Sobre esse assunto, o especialista Rodrigo Lagreca orienta sobre como utilizar a energia de forma eficiente através de um sistema de monitoramento.

Rodrigo Lagreca é CEO e idealizador do Energia das Coisas. Para ele, o momento atual representa uma das maiores crises hidrológicas desde 2001. Por isso, identifica que o uso correto da energia elétrica, de forma inteligente e eficiente, além do seu tratamento e controle, podem influenciar num melhor aproveitamento das instalações comerciais e industriais, nos equipamentos elétricos e com o controle do consumo, e consequentemente no aumento da produtividade.

Uma das soluções disponíveis no mercado é o Energia das Coisas (EdC), idealizado pela startup HomeCarbon Energy Solutions. O EdC vem sendo desenvolvido desde 2017, quando o sistema de monitoramento foi instalado em fase de pré-testes em mais de 50 domicílios distribuídos em 06 concessionárias pelas cinco regiões do país.

Inicialmente idealizado para o controle e monitoramento da conta de luz residencial, a solução foi adaptada para o uso comercial e industrial. Rodrigo explica que a ferramenta busca trabalhar o comportamento das pessoas, o que conduz naturalmente a uma diminuição dos gastos com luz e a possibilidade de poderem ainda avaliar ineficiências em seus equipamentos, a partir do monitoramento em tempo real, readequar suas operações e ainda usufruir das funções de liga e desliga remoto, eliminando o risco de luzes e aparelhos de ar-condicionado deixados ligados por esquecimento. Sobre isso, Lagreca destaca “ser um problema recorrente nas empresas, esquecer equipamentos ligados”, avalia.

“É uma ferramenta que possibilita o engajamento do consumidor, pois a cada ato que o usuário faz, como por exemplo ligar o ar-condicionado, o monitor acusa esse aumento de carga. Essa resposta rápida que o equipamento proporciona permite o envolvimento e o entendimento que os impactos que isso causa, gerando assim o consumo consciente e o menor desperdício de energia elétrica”, explica.

Essas possibilidades, há pouco tempo tidas como um futuro intangível, já são realidade, e chegaram em um momento que não poderia ser mais providencial. Segundo o empresário, as tecnologias desfarão o último mito da energia: a invisibilidade. “A partir de agora, ela poderá ser visualizada, rastreada e controlada. É necessário que reinventemos nossos próprios conceitos e crenças não só sobre energia, mas sobre a água também”, ressalta.

O Ministério de Minas e Energia, em nota, reafirmou que “não estão sendo tomadas quaisquer medidas objetivando o racionamento de energia elétrica”, e continua, “dentre as ações avaliadas pelos órgãos envolvidos, está uma Medida Provisória que visa fortalecer a governança do processo decisório, possibilitando maior agilidade, segurança jurídica e total respeito às competências de todas as instâncias”.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="772904" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]