Trajeto entre Curitiba e Ponta Grossa será feito por ônibus elétrico

Redação

veículo da Princesa dos Campos fará trajeto intermunicipal

Um ônibus elétrico será testado por aproximadamente dois meses ao realizar o trajeto entre Curitiba e Ponta Grossa por uma empresa que faz transporte rodoviário de pessoas entre cidades. É o primeiro veículo coletivo movido a energia que fará um trecho intermunicipal no país. A novidade foi idealizada pela Princesa dos Campos, Embarca (plataforma que conecta clientes, operadores e motoristas), Marcopolo e BYD.

O trajeto da capital paranaense até o município localizado nos Campos Gerais do Paraná tem cerca de 117 quilômetros. O veículo tem autonomia de 250 quilômetros e capacidade para 44 passageiros sentados. O projeto foi lançado simbolicamente na segunda-feira (23) em um percurso do Jardim Botânico até à Cidade Industrial de Curitiba. 

De acordo com os estudos feitos pela BYD, a introdução do equipamento no setor pode representar até 70% de economia no custo operacional, diminuindo aproximadamente 118,7 toneladas de emissão de dióxido de carbono no meio ambiente por equipamento, equivalente ao plantio de 847 árvores, ou até mesmo a 72 mil quilômetros percorridos por ano pelos ônibus tradicionais. O número também corresponde a uma viagem por dia de Ponta Grossa a Curitiba contando ida e volta.

“A Princesa dos Campos foi convidada para ajudar a colocar a ideia do ônibus elétrico intermunicipal em prática. Nós acreditamos que seria possível. Tivemos a coragem de ser a primeira viação de ônibus a investir nesse modelo de negócio e a nos disponibilizarmos a testar. Nosso desafio agora é viabilizar que esses testes possam ser executados com segurança para que o melhor serviço seja ofertado aos nossos passageiros”, comenta o presidente e CEO da Expresso Princesa dos Campos, Gilson Barreto.

ônibus elétrico trajeto entre Curitiba e Ponta Grossa
Motor do ônibus que fará o trajeto entre Curitiba e Ponta Grossa. (Foto: Divulgação)

A estrutura do veículo é constituída por materiais de alta resistência, como a torção e a flexão. Os freios a disco regenerativos, com sistema ABS, proporcionam maior segurança e autonomia ao veículo. A energia cinética dá ao equipamento a capacidade de reverter nos momentos de frenagem, permitindo a realimentação dos sistemas de baterias. O modelo BYD D9F dispões de uma recarga total que se dá em um período de até quatro horas.

Nas duas rodas traseiras, há eletricidade armazenada em baterias de lítio ferro fosfato, utilizada para o funcionamento dos motores elétricos. Para a operação, haverá dois pontos de recarga: um em Ponta Grossa e outro em Curitiba. 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="785450" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]