Parque Vila Velha conquista selo pela gestão de resíduos sólidos

Redação

O Parque Vila Velha conquistou o selo Aterro Zero pela gestão de resíduos sólidos

O Parque Vila Velha, localizado em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, conquistou o selo ‘Aterro Zero’ pela gestão de resíduos sólidos. Nesta quarta-feira (19), a Kapersul Waste Management (KWM) concedeu ao parque o título que simboliza o encaminhamento de 100% dos resíduos para reciclagem e coprocessamento. É a primeira vez que um ponto turístico em uma unidade de conservação brasileira ganha essa menção.

O certificado é a garantia de que parque faz corretamente a coleta e destinação de todos os resíduos gerados por sua operação, sem destinar uma única grama de lixo para aterros sanitários. “Um parque que tem a natureza como seu principal patrimônio e atrativo tem que cuidar do meio ambiente como um todo. Por isso, firmamos essa parceria com a KWM para desenvolver uma solução customizada para a gestão responsável e sustentável de todos os resíduos sólidos produzidos dentro do parque”, destacou Leandro Ribas, gestor da Soul Vila Velha, concessionária do parque.

Leon Fernando Miecoanski, consultor ambiental da KWM, responsável pelo projeto do Parque Vila Velha, explicou que nos meses de estudos e implementação do projeto, o parque produziu cerca de duas toneladas de resíduos sólidos por mês, sem considerar os resíduos vegetais produzidos pela poda e manutenção das áreas verdes, que são usados como adubo natural, conforme o plano de manejo do parque.

Do total de resíduos, cerca de 60% são recicláveis (papel, metal, plástico e vidro) e 40% são resíduos orgânicos e rejeitos (material que não pode ser reaproveitado). Com o plano de gestão, os rejeitos do Parque Vila Velha estão sendo utilizados como combustível alternativo na produção de cimento, por coprocessamento. Os resíduos orgânicos estão sendo transformados em adubo pelo processo de compostagem. Os resíduos recicláveis são triados, classificados por tipologia e destinados para diferentes indústrias de transformação, retornando ao uso como matéria-prima ou novos produtos.

Em média, 1 kg de resíduo reciclável produz 0,7 kg de novos produtos. No futuro, com o parque operando com sua capacidade total de visitantes e o funcionamento de novos restaurantes, a KWM projeta coletar cerca de 4 toneladas de resíduos sólidos por mês, o dobro do volume atual.

O projeto prevê que uma parcela dos resíduos gerados pelo parque retorne, após processamento, como novos produtos, gerando uma economia circular. Parte desse processo já está acontecendo, pois todos os sacos de lixo usados dentro do parque são produtos reciclados. No futuro, Leon Fernando Miecoanski explica que o parque poderá usar papel higiênico, toalha de papel, dispensers de papel toalha, placas de sinalização e até brindes e souvenirs com material reciclado a partir dos resíduos gerados pelo próprio parque. “Até os uniformes antigos dos funcionários podem ser transformados em cobertores”, completa.

Com o projeto Aterro Zero, o Parque Vila Velha elimina seu passivo ambiental, reduz em até 45% as emissões de CO2, minimiza impactos ambientais e contribui para a redução do uso de combustíveis fósseis.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="765040" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]