Negócios Locais
Compartilhar

Startup cresce na pandemia, muda o nome e inicia processo de internacionalização

Nos próximos dias, a startup paranaense Central de Materiais passa a ser chamada de SYX. A mudança no nome é parte de um..

Redação - 20 de dezembro de 2021, 15:12

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Nos próximos dias, a startup paranaense Central de Materiais passa a ser chamada de SYX. A mudança no nome é parte de um processo de internacionalização da marca, que cresceu mais de 100% em 2020, ano do início da pandemia da Covid-19.

O modelo de negócio da empresa consiste em um marketplace B2B que transforma materiais inservíveis para indústrias em dinheiro.

“Saímos de R$ 13,7 milhões transacionados em 2019 para fechar 2021 com R$ 65 milhões. O planejado é dobrar o volume nos próximos quatro anos, chegando em mais de R$ 1 Bi em 2025”, comemora o CEO da Central de Materiais/SYX, Marcio Léo Danielewicz.

Atualmente, a empresa atua em 23 estados do Brasil de forma remota e se prepara para ampliar fronteiras. “Estamos enxergando possibilidades em outros países e, em 2022, vamos nos estruturar para dar nossos primeiros passos no exterior, começando pela América Latina”, adianta o CCO, Robson Moura.

O grande sucesso do negócio é vender materiais que estão parados ou em desuso, e mesmo recicláveis de indústrias para outras empresas, abrangendo veículos, sucatas, máquinas e ferramentas, por exemplo, de áreas como infraestrutura, florestal, metal e mecânica e mineração.

No início da pandemia, foi observado um aumento da procura por equipamentos usados, causada justamente pela falta dos novos, mas agora este movimento já se normalizou aos níveis anteriores. Segundo a COO Regina Augusto Flandoli, “a principal alavanca de crescimento foi aumentarmos ainda mais o foco no cliente, entregando uma jornada de compra e venda cada dia mais fluida e com resultados consistentes, nunca esquecendo a sustentabilidade ambiental e financeira em todas as operações”.