Operação Lava Jato
Compartilhar

Deputado lembra de CPMI e manda ofício para corrigir depoimento na Lava Jato

Lenise Klenk, BandNews FM CuritibaO deputado federal Hugo Leal, do PSB, sentiu-se obrigado a fazer uma correção sobre o ..

Narley Resende - 25 de agosto de 2016, 18:40

Lenise Klenk, BandNews FM Curitiba

O deputado federal Hugo Leal, do PSB, sentiu-se obrigado a fazer uma correção sobre o depoimento que prestou em processo da Lava Jato na quarta-feira (25). Leal é candidato a vice-prefeito do Rio de Janeiro na chapa de Índio da Costa, do PSD.

Depois de ouvir um pedido de desculpas do juiz Sérgio Moro por ter sido convocado por engano para a audiência, Leal encaminhou ofício à Justiça Federal afirmando que foi “lembrado” de ter sido indicado pela liderança do PROS, partido ao qual era filiado, para suplência na CPI Mista da Petrobras, instalada em 2014.

Na audiência realizada por videoconferência e transmitida à Justiça Federal em Curitiba, o deputado disse que não participou da comissão.

O deputado Hugo Leal foi arrolado como testemunha de defesa do ex-senador Gim Argello e do filho, Jorge Afonso Argello Júnior, réus em uma ação penal decorrente da 28.ª fase da operação que tramita em Curitiba.

No ofício encaminhado à Justiça, Leal esclarece que compôs a CPMI como suplente. Mas reafirma que, mesmo indicado pelo partido, não participou de nenhuma das 26 reuniões ou votações da comissão. Ele também diz que não apresentou qualquer requerimento ou convocação à CPI Mista da Petrobras.