Enquanto Lula vira réu, defesa apela à comunidade internacional

Roger Pereira


No dia em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tornou-se réu em ação penal relativa à Operação Lava Jato, os advogados que o representam denunciaram a alegada perseguição ao ex-presidente à comunidade internacional,durante a Assembleia Geral da ONU em Nova York. Eles lançaram o movimento “Stand With Lula – Estou com Lula” para denunciar supostas violações cometidas pelos promotores da Lava Jato.

Advogados de atuação internacional, representantes da sociedade civil e líderes de movimentos dos direitos humanos participaram do evento sediado pela Confederação Sindical Internacional (ITUC – International Trade Union Confederation). Dentre os palestrantes do evento ocorrido em Nova York, estiveram presentes o proeminente advogado de direitos humanos Geoffrey Robertson QC, Sharan Burrow, Secretário-Geral da Confederação Sindical Internacional, e Tefere Gebre, da Federação Americana do Trabalho e Congresso de Organizações Industriais.

Geoffrey Robertson QC, advogado líder global na defesa dos direitos humanos, afirmou: “O mundo está observando o Brasil. A comunidade jurídica internacional está chocada com as violações cometidas pelos promotores da Lava Jato contra Lula e sua família. Trata-se de uma perseguição a Lula e não de um processo. É por isso que levamos este caso à Comissão de Direitos Humanos da ONU em Genebra. Tenho me reunido com diversos advogados e defensores dos direitos humanos aqui nos Estados Unidos, durante a Assembleia Geral da ONU em Nova York, para dar a eles um panorama da situação no Brasil”.

Um documento descrevendo as acusações contra os promotores da Lava Jato foi distribuído aos participantes.

Previous ArticleNext Article
Roger Pereira
Repórter do Paraná Portal