Operação Lava Jato
Compartilhar

Silvio Pereira, ex-secretário do PT vira réu na Lava Jato

O juiz federal Sérgio Moro recebeu a denúncia contra o ex-secretário do Partido dos Trabalhadores (PT), Silvio Pereira, ..

Andreza Rossini - 09 de novembro de 2016, 17:30

O juiz federal Sérgio Moro recebeu a denúncia contra o ex-secretário do Partido dos Trabalhadores (PT), Silvio Pereira, e mais quatro pessoas, nesta quarta-feira (9).

Na decisão, Moro fixou o prazo de dez dias para resposta da defesa e que o processo deve tramitar sem nenhum sigilo.

Sílvio Pereira foi preso na fase 27ª da Lava Jato, acusado de receber mais de R$ 1 milhão em propina e foi solto após cinco dias na cadeia. Ele foi denunciado na Lava Jato por corrupção e lavagem de dinheiro. A denúncia, apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) na noite de terça-feira (8), aponta que Pereira era responsável por organizar a distribuição de cargos (dentro do PT) nos meses que antecederam a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Além de Pereira, foram denunciados o ex-presidente da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho, o Léo Pinheiro, os empreiteiros da GDK, Cesar Roberto Santos Oliveira e José Paulo Santos Reis e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque.

De acordo com o MPF, em datas ainda não estabelecidas, mas entre período próximo a 10/11/2004 e 17/11/2004, em São Paulo, os administradores da empreiteira GDK, com propósito e de modo consciente e voluntário, ofereceram o pagamento de propinas correspondentes a, pelo menos, R$ 6,8 milhões - 1,5% do valor do contrato original que seria firmado no futuro - aos funcionários da Petrobras e ao então secretário-geral do PT, Sílvio Pereira, para determinar aos funcionários públicos a praticar atos que favorecessem a empreiteira, para a execução das obras relacionadas ao módulo 1 da Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas (UTCG). Sílvio Pereira recebeu parte da propina devida através de um automóvel Land Rover.

O Ministério Público aponta, ainda, Pereira como um dos responsáveis pelas indicações para o preenchimento de cargos e funções públicas na administração pública federal.