câmara de apucarana
Compartilhar

Lula dribla imprensa. Veja o vídeo da chegada

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metro..

Andreza Rossini - 10 de maio de 2017, 11:14

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desembarcou no aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, por volta das 10h15 desta quarta-feira (10). Ele driblou a imprensa, não foi para o hotel onde esta hospedado, e seguiu para o escritório de um dos advogados de defesa.

Lula presta depoimento ao juiz Sérgio Moro no âmbito da Operação Lava Jato, às 14 horas, na sede da Justiça Federal.

Lula viajou para a capital paranaense em voo fretado e desembarcou em um hangar particular.

Uma comitiva vinda de brasília com aproximadamente 50 pessoas, entre elas deputados e senadores do PT e de outros partidos de apoio, chegaram ao aeroporto por volta da 9h20.

Dilma

A ex-presidente também veio a Curitiba para apoiar Lula. Ela desembarcou às 10h23 ao lado de Miguel Rossetto, um dos ministros do governo Dilma.

"Já estou em Curitiba para prestar minha total solidariedade a Lula. A verdade vai prevalecer", disse Dilma no Twitter.

Os políticos seguiram em comitiva para o Hotel Pestana, no centro da capital. Eles devem participar do ato em apoio ao ex-presidente na Praça Santos Andrade, no centro, durante a tarde.

Depoimento

O depoimento que acontece hoje estava inicialmente marcado para o dia 3, mas foi adiado a pedido da Polícia Federal (PF) e da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp). Os órgãos alegaram que precisavam de mais tempo para organizar o esquema de segurança.

Na segunda-feira (8), a defesa do ex-presidente entrou com um habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) pedindo a suspensão do processo, alegando que não haveria tempo para analisar novos depoimentos anexados. O TRF4 negaram o recurso.

CapturarA defesa de Lula voltou a protocolar três novos habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ), no início da noite desta terça-feira (9), um dos quais pede para que todo o processo seja suspenso, sendo declarada a suspeição de Moro para julgar o caso.

Triplex no Guarujá

O processo ao qual se refere o depoimento desta quarta-feira envolve a suposta posse de um triplex no Edifício Solaris, na praia Guarujá, no litoral paulista. O imóvel, construído pela cooperativa habitacional do sindicato dos bancários (Bancoop), teria sido adquirido e reformado pela empreiteira OAS, uma das principais envolvidas no esquema de corrupção na Petrobras. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Lula seria o verdadeiro dono do imóvel e o teria recebido como vantagem indevida em troca de favores. O ex-presidente Lula foi indiciado por corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Outros réus são os ex-executivos da OAS Agenor Franklin Magalhães Medeiros, Fabio Hori Yonamine, José Aldemário Pinheiro Filho e Paulo Roberto Valente Gordilho; o advogado Roberto Moreira Ferreira; e o presidente do Instituto Lula, Paulo Tarciso Okamotto. A ex-primeira-dama Marisa Letícia também estava entre os réus, mas morreu no dia 3 de fevereiro.

Depois de ouvir o ex-presidente e receber as alegações finais do MPF e das defesas, Moro deve decidir se condena ou absolve os réus do processo. Não há prazo para a decisão.