Operação Lava Jato
Compartilhar

Lula será ouvido por Moro hoje na Lava Jato

O ex-presidente Luiz Inácio Lula Da Silva (PT), será ouvido pelo juiz federal Sérgio Moro hoje (30). Ele é testemunha de..

Julie Gelenski - 30 de novembro de 2016, 09:45

O ex-presidente Luiz Inácio Lula Da Silva (PT), será ouvido pelo juiz federal Sérgio Moro hoje (30). Ele é testemunha de defesa de Eduardo Cunha(PMDB-RJ), ex-presidente da Câmara, e responderá as perguntas por vídeoconferência.

Isso quer dizer que Lula não ficará frente a frente com o juiz da Operação Lava Jato, ele será interrogado "on-line" de São Bernardo do Campo. O depoimento do ex- presidente está marcado para as 17h30 e ele não poderá ficar em silêncio.

Desde que virou réu da Operação Lava Jato, essa é a primeira vez que Lula será ouvido pelo magistrado. Também estão arrolados como testemunhas de defesa de do ex-deputado, o presidente Michel Temer (PMDB), que responderá por escrito questionamentos feitos pela defesa de Cunha.

Na segunda-feira (28), o juiz Sérgio Moro vetou 21 das 41 perguntas da defesa do ex-presidente da Câmara a Lula.

Cunha foi preso 19 de outubro em Brasília, preventivamente por ordem de Moro. Ele é acusado de ter obtido vantagens na aquisição de um campo de petróleo da Petrobrás, entre os anos de 2010 e 2011.  Ele também responde por  corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e pela manutenção de contas secretas na Suíça, que teriam recebido propina do esquema fraudulento na Petrobrás.

A ação Penal de Lula

Também devem ser ouvidos nesta quarta-feira (30), outras sete testemunhas, só que relacionados à outra ação penal da Lava Jato. Esses depoimentos são justamente nas ações em  que Lula está entre os réus.

Os interrogatórios também serão por videoconferência. Distribuídos ao longo do dia. Serão ouvidas testemunhas de acusação, convocadas pelo Ministério Público Federal, entre elas, está José Carlos Bumlai, apontado como amigo pessoal do ex-presidente petista.

Lula responde por corrupção e lavagem de dinheiro. Ele é acusado de receber R$ 3,7 milhões, da OAS. O caso é relacionados à reformas e aquisição do apartamento tríplex do Edifício Solaris, no Guarujá (SP). O dinheiro seria propina de contratos da Petrobrás.

As primeira oitivas no processo de lula houve discussões e até sessão interrompida.