Operação Lava Jato
Compartilhar

Ministro e deputados testemunharão em favor de Cláudia Cruz

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelas ações penais relativas à Operação Lava Ja..

Roger Pereira - 21 de setembro de 2016, 19:06

O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pelas ações penais relativas à Operação Lava Jato na primeira instância, designou, nesta quarta-feira, data e horário para a oitiva de políticos arrolados como testemunhas de defesa da mulher do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, Cláudia Cruz, ré em ação penal por lavagem de dinheiro e ocultação de bens, pro conta de gastos no exterior com cartões de crédito de contas omitidas da Receita Federal, que seriam alimentadas por propina de contratos da Petrobras, de acordo com denúncia do Ministério Público Federal.

Por videoconferência, a partir do prédio da Justiça Federal de Brasília, serão ouvidos os deputados federais Carlos Marun (principal defensor de Cunha no processo de cassação do parlamentar), no dia 5 de outubro, às 10h, e Jovair Arantes, relator, na Câmara, do processo de impeachment da presidente cassada Dilma Rousseff, no dia 19 de outubro, às 10h.

Também testemunhará em defesa de Cláudia Cruz o atual ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintela, que comunicou que usará a prerrogativa de depor em videoconferência direta da sede do Ministério.

Já o deputado Hugo Motta, indicado por Cunha para presidir a CPI da Petrobras, informou ao juiz não ter disponibilidade para depor durante o mês de outubro, alegando compromissos já agendados por conta da agenda eleitoral na Paraíba. Ele, informou que estaria disponível a partir de 10 de novembro. Sérgio Moro, no entanto, considerou que a data está muito distante e representaria atraso injustificável do processo, determinando que o parlamentar seja novamente oficiado para escolher uma data em outubro.