Operação Lava Jato
Compartilhar

Moro decreta prisão preventiva de braço direito de Sérgio Cabral

Tábata Viapiana, CBN Curitiba Apontado como braço direito de Sérgio Cabral, o ex-secretário de governo do Rio de Janeiro..

Redação - 22 de novembro de 2016, 12:25

Tábata Viapiana, CBN Curitiba

Apontado como braço direito de Sérgio Cabral, o ex-secretário de governo do Rio de Janeiro, Wilson Carvalho, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça Federal do Paraná. Ele é investigado na Lava Jato por intermediar repasses de propina ao ex-governador.

A decisão é do juiz Sérgio Moro, que atendeu a um pedido da força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal. Com isso, a prisão temporária de Wilson Carvalho foi convertida em preventiva, quando não há prazo para soltura. Ele está detido desde o dia 17 na superintendência da Polícia Federal, no bairro Santa Cândida.

Wilson Carvalho foi secretário de governo nos dois mandatos de Sérgio Cabral e é apontado como braço direito do ex-governador do Rio de Janeiro. Carvalho é investigado na operação Calicute, também considerada 37ª fase da Lava Jato – uma ação conjunta entre as forças-tarefa de Curitiba e do Rio.

De acordo com o Ministério Público Federal, Carvalho cobrava das empreiteiras o pagamento de propinas destinadas a Sérgio Cabral. Era ele quem organizava parte dos repasses ao ex-governador. Por isso, foi considerado pelos investigadores uma espécie de “operador” do esquema que desviou R$ 224 milhões em obras do Rio.

No despacho em que decretou a prisão preventiva, Moro afirmou que já há indícios suficientes de que Carvalho praticou crimes de lavagem de dinheiro. Segundo o juiz, o investigado teria por padrão de conduta a aquisição de bens de luxo, como uma casa no município fluminense de Mangaratiba, mediante pagamentos em espécie. Moro também apontou o padrão de vida elevado da família de Wilson, que seria incompatível com a renda declarada às autoridades.