Operação Lava Jato
Compartilhar

Moro determina bloqueio de R$ 5 milhões nas contas de ex-senador

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos em primeira instância da Operação Lava Jato, determinou o bloque..

Redação - 19 de abril de 2016, 21:16

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos em primeira instância da Operação Lava Jato, determinou o bloqueio de R$ 5,350 milhões das contas e aplicações do ex-senador Gim Argello (PTB-DF), preso na 28º fase da operação, deflagrada nesta terça-feira (12).

Outras três empresas que tem Argello como sócio, localizadas em Brasília, tiveram o mesmo valor, de R$ 5,350 milhões bloqueados, totalizando R$ 16,050 milhões nas três empresas. Veja o documento: Bloqueio de bens

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), há evidências de que o ex-senador pediu R$ 5 milhões em propina para a empreiteira UTC Engenharia e R$ 350 mil para a OAS, duas empresas que também são investigadas na operação. O MP afirma que foram colhidas “provas, em cognição sumária, de que dirigentes das empreiteiras envolvidas no esquema criminoso que vitimou a Petrobrás pagaram vantagem indevida, ou seja propina, ao então Senador instaurada no Senado e na Câmara para apurar esses mesmos crimes, tudo durante o ano de 2014” – quando a Operação Lava Jato já estava em curso. Segundo a PF, não há investigações relativas ao envolvimento de outros parlamentares até o momento.

Também estão sob investigação pedidos de propina dirigidos a outras empreiteiras envolvidas no esquema criminoso que se firmou na Petrobras.