Operação Lava Jato
Compartilhar

PMDB reage a denúncias em delações

O presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá (PMDB-RR), divulgou nesta segunda-feira (12) um posicionamento sobre ..

Mariana Ohde - 13 de dezembro de 2016, 07:54

O presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá (PMDB-RR), divulgou nesta segunda-feira (12) um posicionamento sobre o que classificou como “vazamentos criminosos” das delações premiadas de executivos da empreiteira Odebrecht na última sexta-feira (9).

Aos colegas de partido, Jucá afirma que “o PMDB enfrentará todas as questões que forem levantadas contra nós, de qualquer modo, seja de forma clara ou sórdida, no sentido de esclarecer a verdade e dar condição para que os brasileiros possam separar e avaliar com clareza as posições que o partido e seus membros estão tomando”.

Jucá nega que o PMDB tenha utilizado caixa 2 ou doações não declaradas e garante que os recursos foram legais e com prestações de contas aprovadas.

Ele também pediu que seus partidários "imbuídos de coragem e determinação", enfrentem "todas as ondas de boatos, ataques e tentativas de manobrar com fatos forjados a criação de um clima de instabilidade do país que levaria a um caos ainda maior do que encontramos quando o presidente Temer assumiu”.

Jucá pede também união  “independentemente de sua posição no quadro político” e exalta as medidas que vêm sendo tomadas no governo de Michel Temer para "recuperar o Brasil”.

Na última sexta-feira (9), vieram à tona informações do depoimento do ex-vice-presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, no âmbito da Operação Lava Jato.

Ele teria citado nomes de peemedebistas, entre eles o próprio presidente Romero Jucá e o líder do partido no Senado, Eunício Oliveira. Ambos negam participação em esquemas de corrupção.

Em outra nota, para jornalistas, o PMDB pediu esclarecimentos sobre os vazamentos de delações premiadas não homologadas. O partido também negou ter cometido “erro em relação a recursos de campanha” e disse não temer a Lava Jato. “O partido está à disposição para prestar todas as informações complementares para que se alcance a verdade dos fatos”, conclui a nota.