Operação Lava Jato
Compartilhar

Respeite o juízo, grita Sérgio Moro com advogados de Lula

O juiz Sérgio Moro e a defesa do ex-presidente Lula voltaram a discutir durante a audiência de testemunhas de acusação n..

Fernando Garcel - 12 de dezembro de 2016, 16:48

O juiz Sérgio Moro e a defesa do ex-presidente Lula voltaram a discutir durante a audiência de testemunhas de acusação nesta segunda-feira (12). "O senhor respeite o juízo", gritou Moro. "Você não pode cassar a palavra da defesa", rebateu o advogado Juarez Cirino do Santos.

O advogado de Lula, Juarez Cirino dos Santos, pediu para que o juiz indeferisse uma questão feita pelo Ministério Público Federal (MPF). O pedido aconteceu pois a testemunha já havia respondido a mesma pergunta anteriormente, mas Moro negou o pedido da defesa. O advogado continuou a questionar a posição do magistrado e, no ápice da discussão, o juiz gritou com Santos.

A discussão aconteceu durante o depoimento da engenheira civil da empreiteira OAS Mariuza Aparecida da Silva Marques. Ela trabalhou na reforma do tríplex do condomínio Solaris, no Guarujá, paga pela empreiteira e apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como propriedade de Lula como forma de recebimento de vantagens indevidas. Na pergunta, o MPF questionou se a engenheira teria notado a forma como a ex-primeira-dama Marisa Letícia foi tratada durante uma visita ao imóvel.

> De 19 testemunhas do MPF contra Lula apenas Pedro Corrêa e Delcídio fizeram acusações

O procurador repetiu a pergunta e o advogado Juarez Cirino do Santos voltou a protestar. Moro rebateu afirmando que o advogado era inconveniente. “Você não pode cassar a palavra da defesa”, respondeu Cirino. "Posso, doutor. Não seja inconveniente. Já está registrada e o senhor respeite o juízo", gritou Moro.

"Mas, escuta, eu não respeito Vossa Excelência enquanto Vossa Excelência não me respeita enquanto defensor do acusado. Vossa Excelência tem que me respeitar como defensor do acusado, aí então Vossa Excelência terá o respeito que é devido a Vossa Excelência. Mas se Vossa Excelência atua aqui como acusador principal, Vossa Excelência perde todo respeito”, respondeu o advogado.

> Engenheiro diz que reforma do tríplex custou R$ 770 mil e que Marisa visitou obra

Por fim, após o bate-boca, Mariuza reafirmou que Marisa e o filho durante a visita ao tríplex foram tratados como "pessoas a quem o imóvel já estava destinado".

Confira:

Denúncia

O ex-presidente Lula foi indiciado por corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. No inquérito, Lula é apontado como recebedor de vantagens pagas pela empreiteira OAS no triplex do Guarujá. Os laudos apontam melhorias no imóvel avaliadas em mais de R$ 777 mil, além de móveis estimados em R$ 320 mil e eletrodomésticos em R$ 19,2 mil. A PF estima que as melhorias tenham custado mais de R$ 1,1 milhão no imóvel do Guarujá.

A ex-primeira-dama Marisa Letícia foi indiciada por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Para a PF, Marisa recebeu, junto a Lula, vantagens indevidas da empreiteira OAS nas reformas do tríplex. Marisa e o filho de Lula, Fábio Lula foram intimados para prestar depoimento não âmbito da força-tarefa, sobre o sítio de Atibaia e não compareceram a oitiva marcada para o dia 16 de agosto. A defesa alegou que eles não são obrigados a depor.

Paulo Tarcisio Okamoto foi indiciado por crimes de corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Segundo a PF, ele recebeu vantagens indevidas entre 2011 e 2016 que totalizaram mais de R$ 1,3 milhão do empreiteiro Léo Pinheiro.

Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, é acusado por corrupção ativa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Ele teria pagado a Gordilho para a realização das obras e trasporte e armazenamento dos bens do casal. O total pago em vantagens indevidas chega a R$ 2.430.193.

Paulo Gordilho, ex-diretor da OAS, teria atuado diretamente no pagamento de propina junto a Léo Pinheiro. Foi indiciado pelos crime de corrupção ativa.