Operação Lava Jato
Compartilhar

Temer responde perguntas de Cunha na Lava Jato

Com Thaissa Martiniuk - BandNews FM CuritibaO presidente da República, Michel Temer, encaminhou ao juiz federal S..

Roger Pereira - 09 de dezembro de 2016, 20:01

Com Thaissa Martiniuk - BandNews FM Curitiba

O presidente da República, Michel Temer, encaminhou ao juiz federal Sérgio Moro as respostas dos questionamentos formulados pelos advogados do ex-deputado Eduardo Cunha. O documento tem data de ontem (quinta), mas foi protocolado no sistema da Justiça Federal do Paraná, somente nesta sexta-feira (09). Temer precisou responder 20 perguntas e em todas elas foi bastante objetivo. As 20 perguntas foram respondidas em apenas quatro páginas de documento. Muito delas com apenas uma frase como "não tomei conhecimento", ou mesmo com um única palavra: "não".

A defesa de Cunha perguntou se Temer, enquanto era deputado federal e presidente do PMDB, foi procurado pelo pecuarista José Carlos Bumlai para tentar manter Nestor Cerveró na diretoria internacional da Petrobras. Temer respondeu que como era presidente do PMDB foi sim procurado pata tratar da questão e disse também que recebeu o próprio Cerveró para discutir sobre o mesmo assunto. Os defensores também queriam saber se Eduardo Cunha teve participação na nomeação de Jorge Luiz Zelada para a área internacional da estatal. O chefe de estado disse que não tem conhecimento da influência do ex-deputado nesse assunto. Além disso, o presidente da República comentou que não sabe da participação de Eduardo Cunha na compra de um campo de Petróleo na África pela Petrobras.

Os advogados do ex-presidente da Câmara haviam protocolado 41 perguntas, mas Moro barrou 21 delas por considerar o conteúdo inapropriado. O juiz descartou 13 questionamentos por entender que eles ultrapassam a competência da Justiça Federal – que não pode investigar Temer de forma direta ou indireta. Outras oito perguntas foram cortadas pelo juiz, porque não estão relacionadas aos fatos investigados neste processo. Foram descartadas por Sérgio Moro a maioria das perguntas relacionadas ao conhecimento do presidente sobre os crimes cometidos na Petrobras. Michel Temer é uma das 22 testemunhas de defesa indicadas por Eduardo Cunha. Eduardo Cunha está preso preventivamente em Curitiba desde o dia 19 de outubro, a mando do juiz Sérgio Moro. O político é acusado de receber propinas em contrato de exploração de Petróleo na África e de usar contas na Suíça para lavar o dinheiro.