A Arte de Calar

Renato Follador


Muitas palavras nunca indicaram muita sabedoria, basta prestar atenção no discurso da maioria dos políticos.

Um professor espanhol certa vez me disse: “só fale quando tiver certeza que tuas palavras signifiquem mais que teu silêncio, porque este deixara, ao menos, dúvida na cabeça das pessoas quanto à tua verdadeira capacidade e inteligência”.

Nunca vi tanta besteira escrita nas redes sociais, desde o momento que a tecnologia deu a oportunidade de todos opinarem sobre tudo.

Muitos se expõem ao ridículo e eternizam isso nas palavras proferidas ou escritas.

Por isso, resolvi colocar aqui, minha opinião sobre a arte de calar.

Calar sobre sua própria pessoa, é humildade. 

Calar sobre os defeitos dos outros, é ética. 

Calar, quando a gente está sofrendo, é coragem. 

Calar diante do sofrimento alheio, é covardia. 

Calar diante da injustiça, é fraqueza. 

Calar, quando o outro está falando, é delicadeza. 

Calar, quando o outro espera uma palavra, é omissão.

Calar, quando não há necessidade de falar, é prudência.

Calar diante do mistério que não entendemos, é sabedoria. 

Por fim, quando encontrar um chato que não sabe calar, dando opinião sobre tudo, lembre: os que mais falam geralmente são os que menos dizem, pois são eles os que menos ouvem.

Praticar o silêncio faz bem para a saúde.

Previous ArticleNext Article