A malandragem da Invalidez

Renato Follador

O Brasil tem 31 milhões de aposentados e pensionistas no INSS.

Desses, 6 milhões são aposentados por invalidez.
Incrível, todos, eu disse todos os aposentados por tempo de contribuição somam 8 milhões. Gente que trabalhou 35 anos, homens, ou 30, mulher.
Dá para acreditar? Tem quase tanto aposentado por invalidez quanto aposentado sadio por tempo de contribuição.
Pois o presidente Jair Bolsonaro sancionou no dia 18 a Lei de Combate às Fraudes Previdenciárias.
O governo vai intensificar o combate a elas e melhorar a qualidade dos gastos, podendo gerar uma economia de R$ 10 bilhões em 1 ano.
Será feita criteriosa revisão de benefícios e de processos irregulares de auxílio-saúde, alteração de regras de concessão do auxílio-reclusão, de pensão por morte e recadastramento dos segurados rurais, além da ampliação do cruzamento de bases cadastrais.
Garanto que eu e você, amigo ouvinte, pagamos contribuição para manter muito vagabundo em casa ou na praia. Gente que não tem um mínimo de decência, de caráter, de civismo, de patriotismo. Gente que se aproveita de normas legais frágeis, administradores incompetentes e peritos relapsos para estender um auxílio-doença até conseguir uma invalidez.
Que tira dinheiro, inclusive, de quem realmente não tem capacidade de trabalhar, quem foi golpeado pelo destino, os inválidos da vida, que poderiam estar ganhando uma aposentadoria maior, se não tivessem que dividir o bolo cada vez menor com malandros oportunistas.
Olha, o que falta, definitivamente, para esse país é: gestão.

Previous ArticleNext Article