Ah no meu tempo!

Renato Follador


Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças, disse o naturalista inglês Charles Darwin há 150 anos.

Hoje, numa era de alta tecnologia e de explosão de conhecimento, isso fica cada vez mais evidente.

Há somente 25 anos, no Brasil, uma linha telefônica- fixa, que era só o que existia- custava U$ 2,000.00 e levava dois anos ter uma instalada. Não havia celular, nem internet, nem caixa eletrônico, nem comércio eletrônico muito menos redes sociais.

Como o mundo mudou! E “adaptabilidade” é cada vez mais a chave do sucesso e o que vai separar profissionais protagonistas de coadjuvantes. Não digo que a modernidade é boa ou má, mas é a realidade. Nada mais ultrapassado que agarrar-se às âncoras de um passado que nunca mais vai existir. A métodos que em outro tempo e realidade deram certo, mas que agora não funcionam mais.

Tem gente que ao invés de se adaptar aos novos tempos quer que os novos tempos se adaptem a ela.

É fácil reconhece-las porque são aquelas que dizem:” ah no meu tempo”!

Ah no meu tempo não tinha tanta baixaria na televisão, ah no meu tempo as crianças eram mais educadas.

Pode ser, mas as mudanças e os avanços sociais são inevitáveis, a evolução tecnológica irreversível, e só nos resta nos adaptar e ajudar a melhorar o ambiente em que vivemos.

Uma coisa tenho certeza: quem só diz “ah no meu tempo” já morreu e não percebeu. Apenas está entre nós, para criticar.

 

Acompanhe meus comentários diários também nas redes sociais @orenatofollador e nos Podcasts da Apple, Spotify e Deezer.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="704897" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]