As mulheres se preparam melhor para a velhice

Renato Follador


As mulheres que combinam atividades no lar, maternidade e trabalho são as que têm um maior bem-estar psicológico e longevidade segundo pesquisa sueca.

Antigamente, a partida dos filhos do lar, a menopausa e o fim da vida reprodutiva eram uma ameaça à identidade feminina e causa de depressão.

Hoje, a mulher moderna, ao empreender novas carreiras, estimulou-se com outros desafios, passou a viver mais e é cada vez mais importante na previdência brasileira.

Na previdência social, em 1.994, ano do Plano Real, de cada 100 novas aposentadorias por tempo de contribuição, 19 eram de mulheres. Hoje, são 50.

Na previdência privada, no mesmo período, as seguradas passaram de 10% para 53%, mais da metade.

Isso é reflexo da maior participação delas no mercado de trabalho, mas, principalmente, de sua maior consciência previdenciária.

Acho que o instinto maternal de proteção da prole faz com que elas pensem mais no futuro e nas condições de sobrevivência com dignidade. Por isso as mulheres não são surpreendidas pela velhice como os homens, pois elas se preparam melhor.

A procura por assistência médica, muito maior que dentre os homens, confirma a tese delas de que é melhor prevenir do que remediar.

E isso também explica a sua maior longevidade. No Brasil, em média 5 anos a mais que os homens.

É, quanto a planejamento, temos muito o que aprender com elas.renato.follador

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="488987" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]