Deficiente

Renato Follador


Este texto de Mario Quintana, escritor gaúcho, sobre deficiência, me toca muito.

Diz ele: deficiente é aquele que não consegue modificar a sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade, sem ter consciência que é dono do seu destino.

Louco é quem não procura ser feliz com o que possui.

Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.

Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir o desabafo de um amigo, ou um apelo de um irmão, pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.

Mudo é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde atrás da máscara da hipocrisia.

Paralítico é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.

Diabético é quem não consegue ser doce.

Anão é quem não sabe deixar o amor crescer.

E, finalmente, a pior das deficiências: ser miserável.

Miserável é quem não consegue falar com Deus. 

E, com a permissão do mestre, eu acrescentaria: deficiente é aquele a quem o carma não impôs limitações e, por isso mesmo, deve valorizar cada segundo nesse planeta, pois a vida é uma dádiva para ser insignificante.

Previous ArticleNext Article