Estamos ficando velhos!

Renato Follador

Queridos amigos ouvintes, depois de mais de uma década falando aqui que devemos pensar numa previdência privada, que devemos nos preparar para viver mais, tem gente que ainda trata isso com descaso.
Então vamos à notícia divulgada pelo IBGE ontem: um em cada quatro brasileiros terá 65 anos ou mais em 2060, o correspondente a 58,2 milhões de pessoas ou 25,5% do total da população.
A expectativa de vida ao nascer chegou em 2018 a 72,7 anos para homens e 79,8 anos para as mulheres, mas continuará crescendo para 77,9 anos e 84,2 anos, respectivamente, em 2060.
Agora, um dado importantíssimo para enaltecer a gravidade da situação: como a nossa taxa de mortalidade infantil ainda é muito alta, bem como a taxa de mortalidade na juventude- devido aos acidentes de trânsito e à insegurança- isso afeta muito a expectativa de vida ao nascer.
Agora, passadas essas duas fases críticas, temos expectativa de sobrevida na idade de aposentadoria próxima a países europeus e aumentando ano a ano. Exemplo: hoje, quem chega aos 60 anos pode ter esperança de viver, em média, até os 84 anos. Vinte e quatro anos como idoso. Imaginem quanto será em 2060!
Perceberam, o que importa para o INSS é a sobrevida de quem chegou na idade de aposentadoria.
Cada ano que passa, aumenta o número de aposentados e pensionistas e estes vivem, felizmente, cada vez mais, o que, infelizmente, afunda a previdência social.
 
Consultas sobre finanças e previdência: (41) 3013-1483
Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook