Menos escolas, mais creches para idosos

Renato Follador


Cópia de Cópia de Sem nome

 

A cidade chinesa de Xangai tem 24 milhões de pessoas e a maior proporção de aposentados da China. Acaba de criar leis para punir filhos que não cuidam dos pais na velhice.

Quem não visitar os pais idosos e prestar assistência periódica será incluído numa lista negra de crédito. Isso vai dificultar a abertura de contas em bancos e obtenção de empréstimos.

A medida do governo é para evitar uma sobrecarga maior se os idosos passarem a depender só do Estado.

Me lembro das fortes reivindicações, ainda hoje, de mães trabalhadoras para criação de creches para seus filhos.

Olha, do jeito que a massa da população de idosos e a longevidade está aumentando, logo, logo, ouviremos reivindicações de filhos para abertura de “creches” para os pais idosos.

Em muitas famílias, hoje em dia, os filhos se revezam para cuidar dos pais viúvos, que ficam sozinhos o dia inteiro.

Pois apoio essa ideia do governo chinês. Jamais podemos deixar nossos pais abandonados, especialmente no momento em que mais precisam de amparo: na velhice.

Se não por amor, por crédito financeiro, os filhos vão ter que dar suporte aos seus velhinhos.

Me lembro que alertei, há uma década atrás, que os governos deveriam parar de construir escolas, pois elas ficariam vazias, já que a taxa de natalidade caiu para 1,7 filhos por brasileira.

Pois ficaram. Agora, que tal substituir escolas por creches para idosos?

 

 

 

Acompanhe meus comentários diários também nas redes sociais @orenatofollador e nos Podcasts da Apple, Spotify e Deezer.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="757587" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]