Não fale da poupança

Renato Follador


Olha, difícil aceitar, mas tem milhões de brasileiros que aplicam na caderneta de poupança mais de R$ 600 bilhões. Onze mil tem mais de R$ 1 milhão lá. Estes, provavelmente herdaram a fortuna, pois tem pouca inteligência para investir.

Há décadas, a poupança é um péssimo investimento. Perde da inflação.

Agora, em sã consciência, como alguém prefere aplicar na poupança ao invés de um título público federal, na SELIC, se a lei- sim isso é lei- diz que quando a SELIC estiver abaixo de 8,5%, caso dos últimos 5 anos, a poupança renderá só 70% da SELIC?

É certo que no título público incide IR, mas mesmo assim é muito melhor e sem risco, pois garantido pelo Tesouro Nacional.

Antes não havia informação, mas, hoje, com o mundo digital e interconectado, é injustificável aplicar na poupança. Eu teria vergonha de dizer!

O título público é uma opção à caderneta quando a aplicação for de curto prazo, como guardar um dinheiro para um período desempregado, para uma cirurgia que o plano de saúde não cobre, para emergências.

Agora, se a aplicação na poupança for para o longo prazo, para a aposentadoria, aí a diferença é mais gritante.

Fundo de previdência, como o Mais Futuro, pelo qual sou aposentado, rendeu em média 14% contra 3,5% da poupança ao ano nos últimos 5 anos. Quatro vezes mais e sem IR, aliás, mais, podendo abater na Declaração tudo que contribuir.

Enfim, se quiser continuar com a poupança, não conte pra ninguém. Vão saber que você não entende nada de finanças.

 

 

Acompanhe meus comentários diários também nas redes sociais @orenatofollador e nos Podcasts da Apple, Spotify e Deezer.

Previous ArticleNext Article