Não ser explorado

Renato Follador


Prancheta 2

 

Falamos tanto e por tanto tempo sobre reforma da previdência, que há alguns meses não se toca no assunto.

Mas a previdência é algo que nos acompanha a vida inteira. Há muitos anos, cunhei um bordão que reflete o que ela representa: “previdência, um dia você vai precisar dela.”

O tempo vai passa, o tempo voa, como dizia a propaganda daquele banco paranaense, e a oportunidade de construir um futuro financeiramente digno vai junto.

Quanto à previdência oficial, do INSS, todos já sabem: mulheres 62 anos de idade e 15 mínimos de contribuição e homens 65 anos e 20 de contribuição como carência. Isso, agora, porque garanto a vocês que, com o aumento da longevidade, em 10 ou 15 anos vem nova reforma aumentando as idades mínimas e diminuindo o teto. Quem se aposentar daqui a 20 anos pode esperar um teto de uns 3 salários no máximo, o que daria uns R$ 3.000,00 hoje.

Assim, para não depender só do governo e suas mudanças, para aproveitar-se dos juros como investidor e para manter o padrão de vida na melhor idade, só com previdência privada.

E nesta, cada dia perdido sem contratar é dinheiro rasgado.

Estou há 33 anos atuando na área e escolhi me aposentar pelo Mais Futuro Fundo de Previdência.

Acho que é uma boa dica para quem quer ter especialistas investindo seu dinheiro, educadores financeiros para orientá-los e segurança de que não será explorado.

 

 

Acompanhe meus comentários diários também nas redes sociais @orenatofollador e nos Podcasts da Apple, Spotify e Deezer.

 

Previous ArticleNext Article