O Derrotado

Renato Follador


É inerente e comum ao bom caráter, ao homem de bem e ao de espírito elevado a humildade e o altruísmo.
Ao escutar o pronunciamento de Fernando Haddad, ovacionado pela esquerda radical, constatei que ele não se encaixa em nenhum desses conceitos.
A primeira palavra marcante foi oposição. A segunda coragem, para lutar contra o medo. Vale destacar também a reverência aos 2 últimos presidentes do partido: Dilma, a “impichada”, e ao presidiário Lula.
A falta de educação, de quem se diz professor, e de desrespeito ao simbolismo da presidência omitiram do candidato derrotado qualquer desejo de sucesso ao novo presidente eleito. A razão é que o que menos interessa a eles é o sucesso de quem quer que seja que não seja o PT. Eles são a favor do PT e não do Brasil. A favor, escancaradamente, do poder pelo poder. Mesmo depois de 14 anos nos dirigindo e conduzindo ao maior desemprego, ao menor crescimento econômico e ao maior aparelhamento de corrupção conhecido no mundo, não aceitam a derrota dita claramente pelo povo livre nas urnas.
De todos os defeitos, o imperdoável foi roubar a esperança da geração atual e o sonho das gerações futuras pela corrupção incontrolada.
Ela não está só no PT, verdade, mas o PT era o partido governante. Não bastasse isso, não aceita a realidade, distorce a verdade, alegando prisões políticas.
Quem não sabe pensar é um idiota, quem não se atreve a pensar um covarde, mas quem não quer pensar é um fanático.

Consultas sobre finanças e previdência: (41) 3013-1483

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="566723" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]