Preguiça e Pobreza

Renato Follador


Sempre me perguntei por que as pessoas não se preparam para a aposentadoria.

No século da informação e comunicação abundante, não para dizer que não sabia.

Se tudo, se absolutamente tudo der certo na nossa vida, chegaremos aos 65 anos com saúde, vitalidade e sonho de usufruir da aposentadoria por uns 25 anos. E de onde virá a grana para viver todo esse tempo que a longevidade crescente está nos presenteando?

Tivemos uma reforma da previdência recentemente. Por ela, o cálculo da aposentadoria considerará todos, eu disse todos, os salários desde aquele primeiro do início da carreira, como, basicamente um estagiário, até o último antes da aposentadoria. E mesmo assim, há um teto, hoje de uns R$ 6.000,00. 

Logo, será normal, receber do INSS não mais do que metade, ou uns R$ 3.000,00.

Por isso digo que todo brasileiro tem que ter um plano B, de nome previdência privada. E por que ela e não outro investimento?

Simples: porque investindo nela não tem imposto de renda, e quem tem fundo de pensão ou PGBL pode abater na declaração as contribuições que fez ano a ano até 12% do salário.

Além disso, nos fundos de pensão, como o Mais Futuro de Curitiba, os segurados têm especialistas em várias áreas cuidando do investimento e consultores disponíveis para falar de finanças e previdência a qualquer momento. 

Você prefere consultar um expert que defende teu dinheiro ou um gerente de banco que defende o dinheiro do banqueiro?

Mexa-se amigo antes que a preguiça te atrase e a pobreza te alcance.

 

 

 

Acompanhe meus comentários diários também nas redes sociais @orenatofollador e nos Podcasts da Apple, Spotify e Deezer.

Previous ArticleNext Article