Ser velho

Renato Follador


Sem Título.001

 

O Brasil está envelhecendo, eu estou envelhecendo, você que me ouve está envelhecendo e isso é maravilhoso, porque a única chance de viver muito é envelhecer.

Envelhecer é como escalar uma grande montanha: enquanto escala, as forças diminuem, mas o olhar é mais livre, a visão mais ampla e mais serena.

Para refletirmos sobre isso, separei alguns pensamentos de gente brilhante, como Montaigne.

Disse ele: “as rugas do espírito nos fazem mais velhos que as do rosto”.

Já Shakespeare falou: “os velhos desconfiam dos jovens porque já foram jovens.”

E esta é de Picasso: “quando me dizem que estou velho demais para fazer alguma coisa, tento fazer mais rápido.”

Oliver Holmes afirmou: “o jovem conhece as regras, mas o velho conhece as exceções.”

Na juventude aprendemos, na velhice compreendemos. 

A verdade é que a velhice começa quando a memória é mais forte que a esperança. 

E me lembro de uma frase de Cícero: “o velho não pode fazer tudo o que um jovem faz, mas faz melhor.”

Já um provérbio alemão enaltece que “as árvores mais antigas dão os frutos mais doces.”   

Sófocles sabiamente afirmou que “aqueles que mais amam a vida são aqueles que estão envelhecendo.” O tempo tem mais valor.

E eu cheguei à conclusão que quando você é velho na carne, tem que ser jovem na alma, pois um homem não envelhece quando sua pele enruga, mas quando seus sonhos e esperanças se encolhem. 

Por fim, velho é aquele que se deita sem esperança e se levanta sem objetivos.

 

 

 

Acompanhe meus comentários diários também nas redes sociais @orenatofollador e nos Podcasts da Apple, Spotify e Deezer.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="748536" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]