Vergonha

Renato Follador


discurso2

 

 

Nada é mais desprezível no ser humano do que usar o poder para matar o semelhante.

A barbárie pode travestir-se de diferentes maneiras. Explícita, como na Antiguidade, ou dissimulada, como na atualidade.

O poder de um governante é imensurável. Basta um gesto, uma palavra, um olhar, uma atitude para influenciar milhões e, mais, afetar a vida destes.

Por isso, a reflexão antes de um pronunciamento é imperiosa.

Há a pessoa do governante e a figura do governante. São duas coisas diferentes e, sábio daquele que consegue enxergar e separar.

Que país abençoado por sua natureza e amaldiçoado por sua gente.

Viajei muito e vivi fora pra afirmar que não conheço gente mais irresponsável e brincalhona que nossos concidadãos.

A alegria e a irreverência têm um limite, que é o respeito ao próximo.

Apesar de estarmos esgotando a capacidade de cuidar da saúde de nossos irmãos, ainda há gente que debocha das medidas restritivas e menospreza cuidados fundamentais para preservar a vida.

Somos motivo de chacota e perplexidade no mundo todo pela forma como estamos lidando com a pandemia.

Como é possível governantes estarem priorizando a próxima eleição ao invés da salvação de seus irmãos?

A desumanidade cobra seu preço, mais cedo ou mais tarde.

Neste momento, tenho vergonha de ser brasileiro.

Não esqueçam os nomes de quem nos governa.

 

 

Acompanhe meus comentários diários também nas redes sociais @orenatofollador e nos Podcasts da Apple, Spotify e Deezer.

Previous ArticleNext Article