É preciso olhar com humanidade as condições dos profissionais da Segurança Pública 

Coronel Sergio Malucelli é pré-candidato a deputado estadual

Redação - 16 de julho de 2022, 09:42

Coronel Sergio Malucelli

O paranaense tem recebido nos últimos tempos diferentes notícias as quais mostram profissionais da área de segurança pública envolvidos em episódios trágicos, de extrema violência contra si e contra terceiros que chocam a todos nós. É uma triste realidade que acaba por rondar nossas corporações. 
Não é de hoje que venho conversando com autoridades do Governo Estadual, levando relatos dos profissionais da corporação da Polícia Militar no Paraná/Bombeiros, que dizem que a rotina dos policiais está extremamente exaustiva, com pouco incentivo e poucos programas que visem dar qualidade de vida a quem trabalha protegendo o cidadão dia a dia nas ruas, colocando a sua vida na mira de bandidos e se expondo em situações altamente arriscadas. 
Não basta termos discussões as quais levam para o lado de que os salários desses profissionais precisam melhorar, e muito. Que sua carreira precisa ser valorizada. Isso é o básico para quem está em uma posição de proteção da sociedade e o Estado deve prover. Pagamos impostos para ter uma segurança pública a altura. E para ter qualidade neste trabalho, o indivíduo que atua na corporação precisa ser valorizado. Isso é essencial, isso é dever do Estado. 
Mas, muito mais do que isso, o Estado tem o dever de  ser mais ativo e olhar para nossos policiais de maneira mais humana e não simplesmente como números em batalhões. Dar suporte com programas psicológicos se tornou algo extremamente fundamental. Esse profissional precisa estar pronto mentalmente para se deparar com situações que vão exigir dele extremo profissionalismo ao enfrentar uma situação de risco em sua rotina de trabalho, para defender de forma ímpar a vida das pessoas e a sua própria vida. 
Saindo da rotina de trabalho estressante, esse mesmo policial precisa estar bem consigo mesmo. E as vezes não é fácil. Sou profissional da área e sei o quanto isso pesava em minha vida quando chegava em casa depois de um dia exaustivo. Para quem está na linha de frente, isso é ainda mais impactante. 
Por isso, fomentar programas de ajuda psicológica é algo que precisa ser tratado como prioridade zero ao lado de reprogramação de rotinas, carga horária de trabalhos excessivos, recursos modernos para realização das atividades e a valorização de quem coloca sua vida para proteger todas as pessoas. Somente desta forma poderemos virar essa página e ver notícias menos impactantes que envolvam nossos admiráveis profissionais da segurança pública. Somente desta forma, veremos uma polícia menos ‘machucada’ pelas circunstâncias, atuante pela sua própria segurança e pela segurança do povo paranaense. 


Coronel Sérgio Malucelli é pré-candidato à Assembleia Legislativaq