A diferença entre Preço e Valor: entenda melhor!

Janaina Chiaradia


In Loco: transmitindo informações e compartilhando experiências.

Da série: pare, olhe, invista!

Do escritor do instituto PMIF Hildebrando Matheus…

Mais uma da série, que vem causando impacto na sociedade, e que, veio da troca de conversas com o profissional na área financeira, Hildebrando Matheus e seus convidados… cada qual na sua área de atuação e com seus estudos… auxiliando a sociedade na arte de saber investir, mesmo em meio a pandemia instaurada.

Vamos aos diálogos da semana, afinal, você já pensou em:

 A Diferença entre Preço e Valor

Quanto vale o relógio de corda de bolso do meu bisavô? Para mim muito, para vocês, acredito que nada, afinal meu bisavô não foi nenhum famoso, e agora temos relógios ultramodernos. Relógios? Hoje tudo o que precisamos está em nossos smartphones, e ver as horas, se tornou um mero acaso.

Com base nesse debate, temos o seguinte dilema: Qual a diferença entre Preço e Valor? Preciso mesmo saber sobre isso?

Bom, para explicar bem a definição, não podemos deixar a teoria de lado…

Preço:

Em economia, contabilidade, finanças e negócios, preço é o valor monetário expresso numericamente associado a uma mercadoria, serviço ou patrimônio. O conceito de preço é central para a microeconomia, onde é uma das variáveis mais importantes na teoria de alocação de recursos (também chamada de teoria dos preços).

Preço é a expressão monetária do valor de um produto ou serviço, podendo ser amplamente definido como:

(…) o elemento mais flexível do composto de marketing (…). Há dois pontos de vista a considerar em relação ao preço. Primeiro, para a empresa, preço é a quantidade de dinheiro que está disposta a aceitar em troca de um produto. Para os consumidores, preço é algo que estão dispostos a pagar em troca de um produto.[i]

Já o preço de venda é o valor que deverá cobrir o custo direto da mercadoria/produto/serviço, as despesas variáveis, como impostos, comissões, as despesas fixas proporcionais, ou seja, aluguel, água, luz, telefone, salários, pró-labore, etc., e ainda, sobrar um lucro líquido adequado.

Pelo aspecto mercadológico, o preço de venda deverá estar próximo do praticado pelos concorrentes diretos da mesma categoria de produto e qualidade. Fatores como conhecimento da marca, tempo de mercado, volume de vendas já conquistado e agressividade da concorrência também exercem influência direta sobre o preço do produto.

Valor:

O valor econômico é a importância que um indivíduo dá a determinado bem ou serviço seja para uso pessoal, seja para troca. O filósofo Aristóteles (384 a.C.-322 a.C.) foi um dos primeiros a discutir a questão do valor da mercadoria, mas foram os economistas clássicos, como Adam Smith (1723-1790) e David Ricardo (1772-1823), que desenvolveram uma concepção mais sistematizada e completa do valor da mercadoria, devido ao momento histórico em que produziram suas teses, a época do capitalismo, na qual a produção de mercadorias se generalizou, transformando até mesmo a força de trabalho em uma mercadoria.

O ponto de partida da teoria de Adam Smith foi enfatizado da seguinte maneira: O trabalho era o primeiro preço, o dinheiro da compra inicial que era pago por todas as coisas. Assim, Smith afirmou que o pré-requisito para qualquer mercadoria ter valor era que ela fosse produto do trabalho humano.

Smith conclui que o valor do produto era a soma de três componentes: o salário, os lucros e os aluguéis.

Muita teoria?…

Vou exemplificar:

Sua esposa possui dezenas de vestidos no armário, mas quer comprar mais um.  Você acha caro o novo vestido porque não percebe o valor que este novo modelito vai proporcionar a ela na festa em que foram convidados para sábado à noite. Sua esposa está comprando pela satisfação de usar o novo vestido e se sentir bem na ocasião. Da mesma forma ela pode achar um absurdo o preço que você pagou pela nova camisa de seu time favorito, pois, as mesmas não tem valor para ela que não joga futebol, para ela é todas iguais e as classifica como caras também. Já, você, comprou e pagou pelo valor e satisfação em torcer no estádio com a nova camisa da temporada de seu time do coração.

Uma coisa só vale o que as pessoas estão dispostas a pagar por ela. Um catálogo pode informar que determinado objeto vale R$50 mil, mas só é verdade se alguém estiver disposto a pagar esse valor por ele. Uma lição importante a se aprender é que: o preço de alguma coisa pode ser bem menor do que seu valor, tanto para você quanto para qualquer outra pessoa. Ou bem maior. Se você pretende ser um investidor de sucesso – e sinceramente espero que seja – então deve entender bem essa relação entre preço e valor, afinal definiu bem o senhor Warren ao dizer que: “O preço é o que você paga; o valor é o que você leva”.

 

 

[i] Ferrel, Hartline, Junior e Luck, 2000.

Previous ArticleNext Article
Janaina Chiaradia
Jurista, Mestre em Direito, Professora, Palestrante e Escritora.