Competência: conhecimento, habilidade e atitude. Observe:

Janaina Chiaradia


In loco: transmitindo informações e compartilhando experiências

Da série “A Bíblia e a Gestão de Pessoas” por Paulo Roberto de Araújo

Em mais uma semana de estudos relevantes, o amigo, professor e escritor, Paulo, expressa seu conhecimento a respeito de: competência.

Entenda: 

A definição mais conhecida de competência é a que diz ser ela formada por um conjunto de três aspectos interagentes e interdependentes: conhecimento, habilidade e atitude. Conhecimento é o saber cognitivo, é a capacidade que o ser pensante possui de transformar simples informações em ideias inteligentemente articuladas, permitindo a utilização por outros. Habilidade é o saber fazer. É a capacidade de colocar as ideias em prática – é saber colocar os planos em ação. Atitude é o querer fazer. É a proatividade e a iniciativa em ação. Estímulos e motivações intrínsecas mobilizam a pessoa na busca pela realização.

            Há um texto registrado no livro dos Provérbios bíblicos que exemplifica o que seja um sujeito competente: “Você já observou um homem habilidoso em seu trabalho? Será promovido ao serviço real; não trabalhará para gente obscura.” Pv. 22.29 (NVI)). O que faz um homem ser habilidoso em seu trabalho? Em primeiro lugar deve ter conhecimento sobre a atividade que desenvolve. Precisa ser um estudioso, ser capaz de aprender e apreender técnicas de execução. Em segundo lugar deve demonstrar sua criatividade e espírito inovador por intermédio da habilidade de transformar conhecimentos em resultados práticos. As habilidades podem ser naturais ou adquiridas. Ao realizar habitualmente suas tarefas ele poderá criar expertises em torno delas. Em terceiro lugar ele necessita demonstrar tudo isto tendo atitude, ou seja, “pôr a mão na massa” e provar a quem de direito que, de fato, é uma pessoa competente.

            Observe, ainda, o que diz o texto dos Provérbios: “Será promovido ao serviço real.” Isto ressalta que o indivíduo competente galgará extratos hierárquicos mais elevados. Serviço real aqui significa o grau de qualidade e importância imprimido pelo sujeito habilidoso à atividade realizada. Em outras palavras, estará mais próximo dos planejadores estratégicos. “Não trabalhará para gente obscura” traz a percepção de que atuará ao lado de pessoas que possuem projeção na sociedade. Demonstrará suas competências trabalhando ao lado de gente que possui luz própria.

Paulo Roberto de Araujo – www.gentecompetente.com.br

Para finalizar bem a coluna, uma música inspiradora:

Uma ótima quinta-feira a todos!

Abraços

Janaina Chiaradia

Previous ArticleNext Article
Janaina Chiaradia
Jurista, Mestre em Direito, Professora, Palestrante e Escritora.