Nos Investimentos, Pense em Longo Prazo.

Janaina Chiaradia


In Loco: transmitindo informações e compartilhando experiências.

Da série: pare, olhe, invista!

Por Hildebrando Matheus Pinheiro…

Hildebrando Matheus é administrador; pós-graduado em Administração Internacional pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); Pós-graduado em Business and Economic Strategies pela University of Califórnia San Diego (UCSD). Possui MBA em Gestão Financeira, Controladoria e Auditoria pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); MBA Mercado Financeiro pela Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP) e Especialização em Mercado Financeiro pela University Yale.

Mais uma da série, que vem causando impacto na sociedade, e que, veio da troca de conversas com o profissional na área financeira, Hildebrando Matheus e seus convidados… cada qual na sua área de atuação e com seus estudos… auxiliando a sociedade na arte de saber investir, mesmo em meio a pandemia instaurada.

Vamos aos diálogos da semana, afinal, você já pensou em:

 

Nos Investimentos, Pense em Longo Prazo.

 

Todos precisam ter um plano, uma meta que levará você ao seu objetivo final, seja ele pagar os estudos, comprar um carro, viajar, ter um celular novo talvez, ou aquele sapato da vitrine, quem sabe? Pensou em algo? Ótimo! Agora escreva esse objetivo, e vamos traçar uma estratégia para você conseguir realizar o sonho. Muitas vezes você terá que fazer a economia de algo, ou conseguir uma nova fonte de renda. Escreva isso logo abaixo do objetivo já que a estratégia é um precursor para chegar ao objetivo final. Pronto! Tenha o que vou dizer bem fixo em sua mente: Após traçar sua estratégia, não pense em mudá-la. Não vale a pena perder tempo fazendo mudanças. E é pouco provável que você consiga melhorá-la e sempre existe a chance de piorá-la. Saiba a hora de deixar as coisas como estão. Tenha em mente um antigo provérbio: “Olhe antes de pular” e olhe bem porque depois que você pular não terá como voltar atrás, então trace um plano e tome suas decisões. Depois evite encrencas.

O planejamento financeiro deve funcionar como um mapa de navegação para a vida financeira em prol dos objetivos. Ele mostra claramente onde você está e aonde quer chegar e que caminhos percorrer para ser bem sucedido. Um bom planejamento pode fazer mais por seu futuro do que muitos anos de trabalho e, em geral, é o diferencial entre sonhadores e realizadores. O planejamento não visa apenas ao sucesso material, mas também pessoal e profissional. Planejar possibilita que você assuma as rédeas de sua vida e guie-a para o caminho que mais o agradar.

Planos são como peixes, devem ser preparados com todo cuidado. Depois de colocá-los na panela, não mexa mais, do contrário irão se despedaçar. Não fique mudando de ideia o tempo todo. Se fizer isso, você acabará não conseguindo muita coisa e certamente desperdiçará dinheiro com taxas de resgate adiantado dos investimentos e outras coisas desse tipo. Pensar em longo prazo é como pensar de forma acelerada enquanto todos ao redor estão em câmera lenta. A paciência é a alma do negócio!

Classificando os investimentos podemos afirmar que temos os de curto prazo, que são importantes, pois pode ser que você precise ter dinheiro disponível num futuro próximo. Os de médio prazo devem produzir retorno financeiro em cinco ou dez anos. E temos os de longo prazo, que gerarão ainda mais recompensas, porém num período bem maior.

Se você for organizado com suas finanças e fizer as reservas necessárias, poderá trabalhar também porque quer, e não somente porque precisa. Terá mais chances de enriquecer seu currículo com trabalhos no exterior, se esse for seu objetivo.

Albert Einstein já dizia: “os juros compostos são a força mais poderosa do universo e a maior invenção da humanidade, porque permitem uma confiável e sistemática acumulação de riqueza” Lembre-se que por trás de todo devedor existe um credor que ganha o juro pago. Você vai preferir ser qual no jogo econômico? O que paga ou o que recebe os juros? Se escolher pelo segundo e tiver paciência, certamente no longo prazo receberá mais juros!

Juros Compostos: São os juros de um determinado período somados ao capital para o cálculo de novos juros nos períodos seguintes. São utilizados na remuneração das cadernetas de poupança, e é conhecido como “juro sobre juro”.

O conselho que fica é que uma vez que você tenha estabelecido seu objetivo financeiro, suas metas, suas ambições, o ponto aonde quer chegar e sua estratégia, continue até o fim, com a seguinte certeza: Quem entende de juros, recebe; quem não entende paga.

 

Previous ArticleNext Article
Janaina Chiaradia
Jurista, Mestre em Direito, Professora, Palestrante e Escritora.