Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

Gazeta deverá mudar projeto da revista semanal

 Jornalista Aroldo Murá escreve em sua página com propriedade de quem conhece os bastidores . Diz que a Gaze..

Pedro Ribeiro - 21 de setembro de 2017, 10:09

 

ANÚNCIO

Jornalista Aroldo Murá escreve em sua página com propriedade de quem conhece os bastidores . Diz que a Gazeta do Povo, da qual fiz parte durante 25 anos, vai repensar o projeto da sofisticada revista semanal. Segundo ele, números extraoficiais dão conta de que o semanário luxuoso em papel couché e formato berliner naufragou nas bancas. Com motivos que sobram: a revista não disse a que veio, manteve a diagramação anterior, imiscuiu seções do jornal como o esporte e a cultura e deixou a desejar na seção que lhe garantia fatia publicitária gorda: a de moda, beleza e decoração.

Veja o que escreve o professor Aroldo Murá sobre a Gazeta do Povo: “O jornal claudica. Agora há o projeto de tornar o semanário enfim, em uma revista, com formato de revista, que possa ser exibida nos pontos de venda. Do jeito que está, pesado e caro (R$ 10), não atrai vendedores nem tampouco compradores. O efeito é a baixa receita publicitária. As reportagens também perderam o impacto e até mesmo o propósito. Se havia um projeto de fazer da nova Gazeta um bastião de grandes debates e grandes análises, ele apequenou-se logo nos primeiros números.

As mudanças ora em planejamento indicam a “revistização” do jornal, que depois das vendas das rotativas, passou a ser impresso no parque gráfico da editora Positivo, e de uma nova reformulação do site, objeto de desagrado de gregos e troianos.

Poderia ser um insucesso casual, mas não se trata disso. O mercado viu o tabloide “Primeira Hora”, experiência em jornalismo popular do grupo, nascer e morrer em um ano. Viu a ÓTV, um canal a cabo que deveria ser noticioso, afundar-se em suas próprias idiossincrasias, viu a Globo FM transformar-se em Mundo Livre sem a força da bandeira original e viu a malsucedida tentativa de tornar a 98 FM uma rádio esportiva. Afora isso, há insucessos do “Jornal de Londrina”, a primeira experiência do berliner do grupo, e o site Gazeta Maringá, que deveria ser e não foi, apesar da ótima repercussão.

FÓRMULAS VENCEDORAS

ANÚNCIO

O certo é que a direção do jornal nunca fez apostas de longo prazo. A quase-centenária Gazeta passou ao formato berliner em 1º de dezembro de 2015. Um ano e meio depois enterrava-se o jornal e com ele uma história centenária. É de estranhar que, a essa altura, a Gazeta não tenha buscado auxílio em fórmulas vencedoras aqui ou em outros países onde a tiragem de jornal em papel aumentou a medida em que o acesso ao site também crescia. Caso do “The New York Times” e da “Folha de S. Paulo” cuja circulação digital só ultrapassou a impressa em setembro do ano passado. Ainda assim por pequena margem (51% a 49%).

ALIENÍGENAS SÃO BEM-VINDOS

O empresário Joel Malucelli, dono do grupo de comunicação que controla as rádios CBN, Bandnews, TV Band, jornal Metro e o site Portal Paraná, diz que, em anos recentes, recebeu a oferta para a compra da Gazeta do Povo. Recusou. Só lhe interessava a RPC, afiliada da Globo, e única entre as emissoras de TV do Paraná com as contas no azul.

De qualquer forma, a resistência a “alienígenas” como definiu certa vez Abdo Aref Kudri, então presidente do Sindicato das Empresas Proprietárias “

“pedro.ribeiro