100 dias de oxigenação e uma nova história para o TCE-PR

Pedro Ribeiro


Fábio Aguayo

O líder empresarial do setor de turismo, bares e restaurantes de Curitiba, Fabio Aguayo, presta uma homenagem ao amigo Fabio Camargo, conselheiro do Tribunal de Contas com artigo em que destaca sua atuação agora como presidente da corte de contas. Veja o artigo:

O conselheiro Fabio Camargo, presidente do Tribunal de Contas do Paraná, quebrou a velha máxima de que o Tribunal de Contas era um Tribunal “faz de conta” ou “uma Ilha”, como foi dito em sua única e primeira entrevista, depois de um longo tempo sem se manifestar, ao jornalista Marc Sousa, na Rádio Jovem Pan.

Completados 100 dias de gestão, Camargo colocou literalmente o TCE-PR e a importância do Controle Externo no centro das atenções no Centro Cívico, com diversas ações que já repercutem positivamente pelo Brasil. E não é pela sua fiel companheira, a golden Tika que o acompanha, tanto na vida privada como na profissional.

Entre os destaques da gestão, a comunicação que em menos de 100 dias, foram entregues R$ 20 milhões economizados pela nova gestão ao governo do Estado para reforçar o caixa neste momento de pandemia e a medida cautelar, em julgamento no STF, visando cooperar no combate ao Covid-19, atacando o principal foco de transmissão do coronavirus, o transporte público.

A medida judicial do transporte público visa permitir apenas a circulação de trabalhadores da saúde, serviços essenciais e relacionados à vacinação da Covid-19 no transporte coletivo de Curitiba. A ação veio após técnicos do TCE-PR comprovarem aglomerações em horários de pico. Foram expedidas várias orientações para a Prefeitura de Curitiba reduzir esse quadro, não sendo cumprida.

Muitos torceram o nariz pela iniciativa do conselheiro. Mas não deixaram de o parabenizar por colocar o debate nacional do transporte público na pauta central dos Poderes Públicos, meio de transporte mais utilizado pela população e subsidiado pelo dinheiro arrecadado do bolso do contribuinte

Camargo, sabendo do seu papel institucional, recebe diversas figuras do meio politico e da sociedade para debater como cooperar, não só no combate a Covid-19, mas na melhora da fiscalização das contas públicas. Ouve mais do que fala. Assimila as boas sugestões, e o principal, dá autonomia para os servidores saírem das sombras e mostrarem seu qualificado trabalho à sociedade.

O conselheiro também impôs um ritmo de trabalho intenso aos servidores, chegando a desempenhar as atividades fora do expediente natural, especialmente em tempos de trabalho remoto, para debater os projetos em andamento.

Todos que conhecem Camargo afirmam que está tão focado na valorização e importância da atuação da corte, que sabe que o sucesso da sua gestão é estratégico para isso e que até nos momentos de descontração, principalmente em seu quartel general em Matinhos, onde recupera as energias, não perde a oportunidade de entrar em contato com seus assessores e servidores.

Depois de anos recluso e reflexivo, ele sabe que não pode falhar. Ainda mais fiscalizando as contas públicas.

Os servidores, num primeiro momento estavam apreensivos, pois não sabiam como seria, mas o impacto está sendo positivo, conquistas e direitos estão reconhecidos e devidamente, o que valoriza e engaja os servidores para o crescimento e melhora do desempenho.

Um fato icônico do começo da gestão, Camargo imprimiu sua marca em uma reunião com toda a diretoria. A sua maneira intensiva de trabalho pela jovialidade tem contagiado os diretores e Coordenadores que estão sempre dispostos aos desafios da gestão.

Ligou um dia à noite, por volta das 22h para todos os diretores e avisou de uma reunião, no dia seguinte, cedo, por volta das 8h30, pegando muitos diretores de surpresa, ou melhor, de pijama.

Com a sua Tika a tiracolo, jogou limpo. Foi direto ao ponto, como é de seu costume. Falou para os presentes se eles preferiam ser conhecidos como servidores do Tribunal Faz de Conta ou de um Tribunal ativo, valorizando o trabalho de todos e reconhecido pela sociedade.

Um dos participantes no evento disse que os olhos de muitos brilharam. A chamada, a estilo Felipão, como gosta de se definir Camargo, deu resultado. Ali foi o ponto da virada.

A mesma fonte diz que ele gosta de se comparar ao Felipão treinador vitorioso, intenso. Dá seus puxões de orelha, em alguns a orelha fica bem vermelha, mas é admirado pelo seu modo sincero e estilo paizão, volte e meia é visto se confraternizado aos abraços com os servidores. Sobra até para a Tika.

A convocação aos diretores reverberou em todos os departamentos. Dali em diante, mesmo em trabalho remoto, o TCE-PR entrou em campo para mostrar seu papel.

Em 100 dias mostrou que veio para ficar para sempre no hall de bons presidentes da corte.

* Fábio Aguayo é empreendedor, dirigente de entidades de turismo, gastronomia e entretenimento e profissional na área de relações institucionais e governamentais.

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="762623" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]