A chave da Casa Civil a um lulista e a investida de Gilmar Mendes contra Braga Neto

Pedro Ribeiro


O presidente Jair Bolsonaro, que entregou a chave de todas as nomeações do governo federal ao senador Ciro Nogueira, do “Centrão”, para se blindar de um possível impeachment, terá mais uma dor de cabeça pela frente. Com esta chave, Nogueira nomeia e desnomeia a hora que quiser.

Agora a artilharia vem do polêmico ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, que mirou suas baterias contra o ministro da Defesa, Walter Braga Neto. Quer que o general se manifeste sobre as ameaças ao processo eleitoral.

Para lembrar, e foi muito bem recordado pelo Estadão, Ciro Nogueira era, menos de três anos atrás, forte aliado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Em 2018, segundo o jornal, durante, durante campanha para conseguir mais um mandato como senador, Ciro chegou a defender no seu Twitter que deixar Lula de fora da disputa presidencial – o petista estava preso – era “tirar do eleitor um direito de escolha”. E ainda afirmou que ficaria com Lula “até o fim”. 

Quanto a Gilmar Mendes, quer respostas sobre a declaração de Braga Neto onde disse as Forças Armadas não estarão dispostas a permitir a realização dos pleitos estadual e federal no ano que vem sem a adoção do voto impresso.

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC), de autoria da deputada bolsonarista Bia Kicis (PSL-DF), que pede a inclusão de impressoras na urna eletrônica a fim de criar uma nova etapa de auditagem dos votos, atualmente encontra-se em tramitação na Câmara. A pauta, porém, tende a não ser aprovada nem mesmo na Comissão Especial que analisa o projeto.

 

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="778740" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]