A delação do fim do mundo

Pedro Ribeiro


A super lista do ministro Edson Fachin vazou. O repórter e blogueiro Fausto Macedo, do Estadão, foi o primeiro a jogar gasolina na fogueira e incendiar a pradaria. Às 16h00 em ponto de terça-feira, seu Blog, publicado no portal do Estadão, deu a manchete que sacudiu o país: “Exclusivo: A lista de Fachin _ Ministro relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal coloca o alto escalão político do País sob investigação”. Quem conta estes bastidores é o repórter Ricardo Kotsch que frequentou, por muitos anos, as entranhas do Palácio do Planalto, no governo Lula.

Fachin já tinha viajado logo cedo para passar o feriadão no interior de Santa Catarina, e outros cinco ministros do STF estavam fora de Brasília. Assim que souberam da notícia, os parlamentares deixaram rapidamente os plenários da Câmara e do Senado.

Não era para menos: estavam na lista divulgada por Macedo nove ministros, 29 senadores, 42 deputados federais, três governadores, as cúpulas do governo e do Congresso, atingindo  toda a elite política brasileira, num total de 108 investigados em 83 inquéritos, um verdadeiro tsunami suprapartidário.

Apesar de toda a expectativa criada, foi o anti-clímax da “delação do fim do mundo”, pois a quase totalidade dos nomes já circulava em sucessivos vazamentos seletivos desde o final do ano passado.

“Não há fato novo”, resumiu-se a comentar o porta-voz do Palácio do Planalto, no começo da noite”. pedro.ribeiro

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="487826" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]