A derrota da esquerda e a saída de Moro do cenário político

Pedro Ribeiro


Quem roubou a cena neste domingo de eleições em segundo turno foi o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, que teria abandonado a política no país, onde figurava como um possível e forte candidato à Presidência da República.

Moro foi contatado pela consultoria americana Alvarez & Marsal como sódio-diretor com atuação na área de disputas e investigações.

A derrota da esquerda neste segundo turno – PT, PC do B e PSOL – somada à também pífia representatividade do presidente Jair Bolsonaro nas urnas – primeiro e segundo turnos – sinaliza que o centro começa a tomar conta do país. Isto nos leva diretamente ao Congresso Nacional, onde figuram os comandantes do “centrão”, entre eles, Rodrigo Maia, cujo partido, o DEM, venceu também no Rio de Janeiro.

Dentro do cenário da disputa à Presidência da República, onde o governador paulista, João Doria, cresce com a vitória da Bruno Covas em São Paulo, Lula, com seu discurso infame onde ainda fala na necessidade de se unir a esquerda para “restabelecer a democracia no Brasil” como se a democracia brasileira precisa ser “restabelecida”, nos leva a crer que cada vez mais a esquerda perde espaço e a direita, de Bolsonaro, cede brechas ao centro.

Nestas eleições, com o avanço de Manuela Dávila em Porto Alegre e Guilherme Boulos em São Paulo – derrotados nas urnas – houve frison nas redes sociais onde grupos de pessoas mais tradicionais tem demonstrado temor de que o país será tomado pelo comunismo com a China dominando de cabo a rabo.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal