A festa da aposentadoria

Pedro Ribeiro


 

A festa midiática protagonizada pelo Palácio Iguaçu e Assembleia Legislativa para selar o fim da aposentadoria para governador seria completa se não fosse torta. Ótimo que se acabe com a aposentadoria daqui pra frente, mas fica a pergunta: e o para trás, quando ex-governadores se aposentaram com menos de 10 meses no governo e continuarão recebendo proventos de mais de R$ 33 mil? Entre os beneficiados, algumas viúvas. A conta fica para o Supremo Tribunal Federal (STF).

A Assembleia Legislativa do Paraná deu um grande passo nessa farra e mostrou ao país que, no Paraná, isso não vai mais acontecer e que existe rigor no controle dos recursos públicos. Medida louvável em um Estado onde tem um ex-governador, Beto Richa, que vive às portas da Justiça tentando provar que não foi responsável por uma série de denúncias de propina.

A promulgação da emenda à Constituição que dá um basta à aposentadoria de governador acontece justamente em uma semana em que a Polícia Civil desencadeia a “Operação Peça Chave” onde empresa que seria a responsável pela manutenção de veículos do Estado, em especial da Polícia Militar e da Saúde, lesou os cofres públicos em mais de R$ 125 milhões. Mas, tudo bem que governadores paranaenses não terão mais aposentadoria.

O festerê continua: na promulgação, que contou com a presença do governador Ratinho Junior que, diga-se não precisa de dinheiro de aposentadoria pois trata-se de um cidadão que, devido ao fruto de seu trabalho é um empresário de sucesso. Traiano destacou que muito além da economia que a medida representa aos cofres públicos, a extinção do benefício para governadores tem um significado histórico e político muito maiores para o estado.

Sim, tem razão o presidente da Alep quando afirma que o Estado dá exemplo ao Brasil, sugerindo que para governar nos dias de hoje o governante tem que ter a compreensão de que a sociedade lhe cobra decisões permanentes e duradouras. E essa decisão o governador Ratinho Junior tomou com muita sabedoria e inteligência, vai ao encontro do que a sociedade espera dos seus governantes: economia na gestão pública e racionalidade. Portanto, esse é um momento ímpar.

O próprio governador Carlos Massa Ratinho Junior afirmou que acabar com privilégios é um de seus compromissos e que essa medida de colocar fim a aposentadoria de governador era um compromisso que ele tinha. “Não adianta discutir previdência se não discutir o fim dos privilégios em várias áreas que, lamentavelmente, ainda existem no País. Então, eu fico feliz de hoje estar participando desse momento histórico para o Paraná”.

Esperamos que este grande “barulho” seja repetido, em breve, muito breve, com a inauguração de uma grande obra no Estado ou mesmo o anúncio de um grande investimento em infraestrutura.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.