A importância dos municípios nas eleições e no plano estadual

Pedro Ribeiro


Candidatos a prefeitos e vereadores começam a se mobilizar para o pleito que será realizado nos dias 15 e 29 de novembro, em caso de cidades que tenham segundo turno. As eleições, que estavam marcadas para outubro foram adiadas em função a pandemia do coronavírus.

Os municípios são fios condutores das eleições para governador, deputados federais e estaduais e senadores, bem como para a Presidência da República. Os municípios praticamente ditam as regras dos pleitos no país.

De acordo com a Constituição brasileira é função dos municípios legislar sobre assuntos de interesse local, além de suplementar a legislação federal e a estadual no que couber. Por isso a importância dos vereadores em relação a questões fundamentais da vida dos cidadãos, como transporte público, limpeza urbana, saneamento básico e urbanismo.

Cabe ao município promover um “adequado ordenamento territorial, mediante planejamento e controle do uso, do parcelamento e da ocupação do solo urbano”, segundo a Constituição.

No Paraná, são 399 municípios que, sem distinção, passam pelas ações de políticas públicas do Governo do Estado. Daí, a importância que, por exemplo, o governador dá a este pleito. Ele precisa do apoio dos municípios para, em caso de reeleição, ou mesmo como candidato ao Palácio Iguaçu, hoje ocupado por Ratinho Junior.

Lideranças do governo, ao lado de candidatos a vereadores e prefeitos, saem às ruas com objetivo de angariar votos que lhes dêem sustentação para governar. Não importa, neste caso, quais os partidos políticos.

Ratinho Junior e o secretário de Governo, Guto Silva, dão continuidade à jornada de três meses para manter a base do governo nos municípios.

Com a pandemia, Ratinho Junior perdeu terreno em municípios considerados essenciais, como Londrina e Cascavel.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal